Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(390)Você está em:
  • Home »
    • Câmara em ação
      • » Opinião

Opinião

Selecione datas para filtrar: a OK
Lula, o cartomante que vira terapeuta 01/09/2009

Lula tem talento para fazer do petróleo do pré-sal apelo eleitoral para sua candidata Dilma Rousseff, mas não de usar sua venda para tirar a maioria do povo brasileiro da pobreza

De manhã, em seu programa semanal de rádio Café com o presidente, falando diretamente para o povo, seu principal interlocutor na campanha permanente em que transformou seus dois governos, Lula qualificou a extração de petróleo na camada de pré-sal como uma “nova independência”.  Foi, então, fiel à fantasia que criou para seu eleitorado cativo do “nunca antes na história deste país”, do “oba-oba” e do “vamos nessa”. À tarde, dirigindo-se a uma platéia seleta de convidados, adotou uma postura mais realista classificando o potencial de riqueza em matéria-prima fóssil para combustível de “dádiva de Deus”, mas que pode virar “uma maldição”. Ao amanhecer o dia, interpretou o cartomante da demagogia. Antes da chegada da noite, fez o papel do terapeuta da sensatez.

Essa personalidade dúbia é a faceta favorita do temperamento de noço líder genial do povo faminto, camelô de esperanças na feira das ilusões de um lado e psicanalista capaz de pedir juízo a seus clientes, aos quais transfere a responsabilidade pela própria cura. Como um feiticeiro tribal, ele receita a dança ritual para chamar uma chuva capaz de encher celeiros. E como aplicado discípulo de Freud, declara ao povo no divã que a responsabilidade será do paciente deitado, ao qual nega o direito de se queixar por ter acreditado no discurso ao feitio do pajé. O feiticeiro vende à tribo o elixir da bonança. Se, contudo, algo der errado, o terapeuta já avisou que isso poderia acontecer, não dependendo das vagas instruções que ele mesmo deu, mas da interpretação errada do livre arbítrio alheio.

Sabe-se que há petróleo na camada geológica do pré-sal e calcula-se que pode ser muito. O Brasil não dispõe ainda de tecnologia para extraí-lo nem de recursos para comprá-la. Tornar essa boa hipótese um fato insofismável por ora depende mais de talento político que de conhecimento técnico. E dificilmente na história da política se encontrará alguém que conheça tão pouco, mas seja capaz de, ainda assim, e até por isso, ser tão convincente. É esse o maior motivo da popularidade de Lula.

Mas esse talento não basta para garantir a metamorfose da fortuna a vir do subsolo em saciedade e felicidade para a maioria do povo. Sociedades que dispõem de petróleo à flor do solo prosperaram ou ainda vegetam. Isso depende menos da quantidade disponível do produto e da vontade dos governantes que da força das instituições. Os Estados Unidos são ricos porque têm petróleo abundante e instituições fortes. A Venezuela continua pobre porque a abundância de sua fortuna fóssil nunca amenizou a própria miséria institucional. O único brasileiro que na certá se beneficiará do pré-sal será a candidata Dilma Rousseff.

 

José Nêumanne, jornalista e escritor, é editorialista do Jornal da Tarde. 

(artigo publicado no Jornal da Tarde, de terça-feira, 1/09/09, pág.2A)

 

 

José Nêumanne Pinto (foto: Divulgação) 



Últimas

2020/04/21 » Um vírus mortal aproxima ciência e senso comum
2020/03/19 » Tecnologia e Teletrabalho: novos horizontes nas relações de trabalho
2020/02/19 » Importantes apontamentos sobre a Lei Geral de Proteção de Dados nos contratos de trabalho
2020/02/18 » Hospitalidade, Hóspede e Hospedagem. Como sua empresa se comporta?
2019/10/31 » A multa de 1% por indicação incorreta da NCM e a Súmula CARF 161
2019/10/29 » Pequenas lições de grandeza
2019/10/14 » O maior desastre ambiental
2019/09/26 » A baixeza humana
2019/09/16 » O caminho do meio é o maior
2019/09/09 » Oh, tempora! Oh, mores!
2019/09/02 » Lobby e democracia participativa
2019/08/02 » O pagamento de prêmio a administradores e diretores não empregados
2019/07/31 » Nossa democracia participativa
2019/07/22 » Julho cheio de tensões
2019/07/15 » O pai nosso de Bolsonaro
2019/07/10 » O poder invisível
2019/07/01 » A festa do estado-espetáculo
2019/06/17 » Um tiro na Lava Jato
2019/06/10 » A violência no deserto
2019/06/03 » Será que vai dar certo?

Ver mais »