Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Cai o ritmo de inflação em São Paulo 09/02/2010

Brasília - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), atingiu 1,28%, na primeira prévia de fevereiro, taxa que ficou abaixo do fechamento de janeiro (1,34%). Quatro dos sete grupos de despesas, apresentaram índices inferiores ao última pesquisa: alimentação, saúde, educação e transportes.

Neste último, com peso de  55,20% na composição do IPC, a taxa de variação permaneceu elevada em 4,49%, mas abaixo da medição passada (4,58%). Para os próximos cálculos, transporte ainda deve influenciar no resultado geral, já que a partir de hoje (9), entram em vigor os novos preços dos bilhetes do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Urbanos (CPTM).

O bilhete unitário do metrô passou e R$ 2,55 para R$ 2,65, um reajuste de 3,9% e o bilhete único com direito a integração com os ônibus municipais urbanos subiram de R$ R$ 4,00 para R$ 4,07, alta de 1,8%. De janeiro de 2009 a janeiro de 2010, a variação do IPC da Fipe ficou em 5,04%.

Os gastos com educação começam a diluir no peso inflacionário, embora com variação ainda elevada, de 3,77% ante 4,42%. No grupo alimentação, pela segunda vez seguida houve queda no ritmo de alta, com a taxa passando de 1,52% para 1,18%.

Alguns produtos são mantidos com preços mais altos por causa da intensidade das chuvas como é o caso das verduras, com correção de 15,07%. O alface subiu 17,11%  e a escarola, 19,75%. Entre os legumes, destaques para a vagem (26,91%) e abobrinha (21,25%). As carnes bovinas tiveram alta média de 0,42% e entre as peças mais nobres o aumento maior foi o do contrafilé (2,35%).

No grupo habitação, o IPC  aumentou de 0,15% para 0,29%. Entre os fatores estão os gastos com o  Imposto Territorial e Urbano (IPTU). Em despesas pessoais ocorreu uma leve alta ( de 0,59% para 0,60%) e em saúde uma diminuição no rítmo ( de 0,26% para 0,23%).

O único grupo com taxa negativa foi vestuário (-0,39%), porém, indicando recuperação de preços. Nas três pesquisas anteriores, as quedas tinham sido mais expressivas com (-0,68%), no fechamento do mês passado, (-0,49%) e  (-0,42%), na terceira e segunda prévias de janeiro, respectivamente.

De acordo com as projeções dos analistas do mercado financeiro, conforme o boletim Focus, divulgado ontem (8), pelo Banco Central, o IPC da Fipe deve fechar o ano em 5,04%, um pouco acima do centro da meta estimado em 4,5% com possibilidades de oscilações em dois pontos para cima ou para baixo. (Agência Brasil - Marli Moreira)



Últimas

2020/11/27 » Volta de cobrança do IOF sobre crédito renderá cerca de R$ 2 bi
2020/11/27 » Indústrias do Mercosul e da UE pedem urgência para acordo comercial
2020/11/27 » Indústria paulista mantém expansão no ano apesar de queda em outubro
2020/11/26 » Expectativa de vida no Brasil sobe para 76,6 anos em 2019
2020/11/26 » Campos Neto: Pix vai gerar inclusão e reduzir custos para população
2020/11/26 » Vendas de máquinas e equipamentos têm alta de 16% em outubro
2020/11/25 » Anatel prevê leilão do 5G no final do primeiro semestre de 2021
2020/11/25 » Mercado de capitais analisa critérios socioambientais de empresas
2020/11/25 » Pix tem quase 4,4 milhões de portabilidade de chaves
2020/11/24 » Maioria dos reajustes até outubro teve ganhos reais, diz Dieese
2020/11/24 » Mercado aumenta previsão de inflação e prevê queda menor do PIB
2020/11/24 » Guedes anuncia que vai para o "ataque" com privatizações e reformas
2020/11/23 » Mais de 60% dos internautas no país usam serviços públicos digitais
2020/11/23 » Guia de financiamento ajuda empresas interessadas em sustentabilidade
2020/11/23 » Em reunião do G20, Guedes diz que recuperação do Brasil surpreende
2020/11/20 » Economia cresceu 7,5% do segundo para o terceiro trimestre, diz FGV
2020/11/20 » Produção e empregos estão em alta na indústria, diz CNI
2020/11/20 » Confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro, diz CNC
2020/11/18 » Aumento de exportações industriais traria R$ 376 bi para economia
2020/11/18 » Quase dois terços das indústrias esperam faturar mais em 2021

Ver mais »