Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Famílias brasileiras querem comprar mais, revela pesquisa da CNC 25/02/2010

Rio de Janeiro - As famílias brasileiras estão dispostas a consumir mais nos próximos meses. Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio divulgada hoje (24) mostra que, de janeiro para fevereiro deste ano, o índice de Intenção do Consumo das Famílias subiu de 135,5 para 135,8.

Aumento na renda, acesso ao crédito e estabilidade no emprego são condições que favorecem esse cenário, na avaliação do economista da CNC, Fábio Bentes. Componentes do INC, esses indicadores tiveram resultado positivo esse mês. "Em média, as famílias estão otimistas em relação às condições de consumo. Dos sete indicadores que compõem o INC, seis ainda estão bastante distantes do ponto de indiferença."

O destaque positivo é a perspectiva de consumo de bens duráveis, que passou de 140,8 para 150,7 pontos, e o negativo é a avaliação das famílias sobre o consumo atual (de 107,3 para 101,9 pontos). A pesquisa considera insatisfação apenas indicadores abaixo de 100 pontos.

A estimativa do economista da CNC para o primeiro semestre do ano é de aumento das vendas do em relação ao mesmo período de 2009. Há um ano, a economia brasileira sofreu os efeitos da crise internacional. "É um efeito estatístico. Como o primeiro semestre de 2009 foi muito ruim, quando comparamos com o momento atual, podemos imaginar que se criará um distanciamento favorável", previu.

Pentes também avaliou que um dos fatores que podem atrapalhar as projeções positivas para o comércio são as perspectivas de aumento da taxa de juros pelo Banco Central, atualmente em 8,75% ao ano. A medida pode encarecer o crédito. "O único ponto de interrogação é o crédito. Existe uma perspectiva de avanço do juros para conter o que alguns chamam de ´euforia´ do consumo", informou.

Dentre os demais indicadores, a pesquisa da CNC  registrou deterioração da avaliação sobre a renda atual (de 146,3 para 143,7 pontos) e pequena queda em relação à satisfação com o emprego e a perspectiva profissional, embora todas ainda se mantenham acima dos 100 pontos.

De janeiro para fevereiro, avançou de 138,4 para 139 pontos a perspectiva de consumo e a intenção de comprar a prazo ( de 145,2 para 146,2 pontos). A pesquisa da Confederação Nacional do Comércio começou a ser divulgada em janeiro deste ano com objetivo de antecipar tendências. Para calcular as estimativas de fevereiro, ouviu cerca de 18 mil pessoas. (Agência Brasil - Isabela Vieira)



Últimas

2020/12/04 » Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
2020/12/04 » Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes
2020/12/04 » Pix tem 100 milhões de chaves registradas
2020/12/03 » Concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias entram no PPI
2020/12/03 » PPI tem 115 ativos para leilões e projetos de concessão em 2021
2020/12/03 » Venda de veículos automotores aumenta 0,45% de outubro para novembro
2020/12/03 » Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
2020/12/02 » CNI: produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no 3º trimestre
2020/12/02 » Balança comercial registra superávit de US$ 3,73 bi em novembro
2020/12/02 » CNA prevê aumento da produção do agronegócio no próximo ano
2020/12/02 » População desocupada atinge 13,76 milhões em outubro
2020/12/01 » Ipea: investimentos têm alta de 3,5% em setembro
2020/12/01 » Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit
2020/12/01 » Estimativa do mercado financeiro para a inflação sobe para 3,54%
2020/11/30 » ANP retoma a 17ª Rodada de Licitações
2020/11/30 » Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro
2020/11/30 » Confiança da indústria atinge maior valor em dez anos, diz FGV
2020/11/30 » Fiscalização do Procon-SP registra infração em 70% de lojas visitadas
2020/11/30 » Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre
2020/11/30 » Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Ver mais »