Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Projeção de analistas para inflação oficial em 2010 tem nono aumento consecutivo 22/03/2010

Brasília - Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) elevaram pela nona semana seguida a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano. Segundo o boletim Focus, divulgado semanalmente pelo BC, a estimativa para o índice oficial de inflação passou de de 5,03% para 5,10%. Para 2011, a projeção aumentou de 4,60% para 4,70%.

As estimativas para o IPCA estão acima do centro da meta de inflação de 4,5%, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Cabe ao BC perseguir a meta de inflação e para isso usa como instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Quando a economia está aquecida e a perspectiva de inflação é de alta, o BC eleva a Selic, que está atualmente em 8,75% ao ano. A expectativa para o final de 2010 é de 11,25% ao ano, a mesma estimativa anterior. Para o fim de 2011, a projeção passou de 11% para 11,10% ao ano.

O boletim Focus também traz a expectativa para outros índices de inflação. Para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), a estimativa subiu de 6,24% para 6,74%, neste ano. A projeção para esse índice, em 2011, permaneceu em 4,5%.

No caso do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), a perspectiva para este ano é de 6,50%, contra os 6,38% previstos anteriormente. Depois de 91 semanas seguidas com projeção mantida em 4,50%, a estimativa para esse índice no próximo ano passou para 4,52%.

A previsão para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) passou de 5,41% para 5,49%, em 2010, e permanece em 4,5%, em 2011.

A estimativa para os preços administrados passou de 3,60% para 3,67%, em 2010, e permaneceu em 4,50%, em 2011. Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, água, educação, saneamento, transporte urbano coletivo, entre outros. (Agência Brasil - Kelly Oliveira)



Últimas

2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%
2021/01/13 » Inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, diz IBGE
2021/01/12 » Ministério pede avanço de reformas para manter fábricas no país
2021/01/12 » Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020
2021/01/12 » Plataforma promove compartilhamento de materiais na economia
2021/01/11 » Como entrar em 2021 com as contas no azul
2021/01/11 » Digitalização de serviços públicos gera economia de R$ 2 bi por ano
2021/01/11 » Banco do Brasil renegocia R$ 40 milhões em dívidas por WhatsApp
2021/01/11 » Vendas de veículos caem 26,2% em 2020, diz Anfavea
2021/01/11 » Enem terá regras para evitar contágio pelo novo coronavírus
2021/01/08 » ANP: 17ª Rodada de Licitações oferece 92 blocos em bacias marítimas

Ver mais »