Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Índia utiliza empresas brasileiras de TI como plataforma de terceirização para os Estados Unidos 23/03/2010

Rio de Janeiro - A utilização de empresas nacionais de tecnologia da informação (TI) como plataforma de terceirização de serviços de empresas indianas instaladas no país para clientes prioritários, como os Estados Unidos, é uma das linhas de ação que a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro) pretende trabalhar este ano.

O vice-presidente da Assespro nacional e da Assespro-RJ, Raul Colcher, disse que a Índia, líder mundial na prestação de serviços terceirizados de TI, já tem cerca de meia dúzia de companhias fazendo negócios no Brasil, atraídas pelo mercado doméstico brasileiro.

“A Índia tem um setor de TI muito forte, mas todo orientado para fora, sobretudo para os Estados Unidos”. A multinacional norte-americana IBM, por exemplo, tem 25% de sua força de trabalho na Índia, o que representa cerca de 90 mil empregados, informou o vice-presidente da Assespro.

Já o mercado doméstico do Brasil é o sétimo ou oitavo maior mercado internacional para TI. Colcher afirmou que os indianos veem o Brasil como um mercado doméstico importante e começam a enxergar possibilidades também na América Latina. “Eles querem, por meio da plataforma brasileira, fazer trabalhos para o mercado americano, utilizando o fato de estar a uma hora da Costa Leste dos Estados Unidos. Ou seja, usar o Brasil como uma ponte, complementarmente para soluções complexas, compostas com talentos brasileiros”.

Ele avaliou que já estão se formando este ano oportunidades de cooperação entre empresas indianas e brasileiras de TI, por meio de fusões, aquisições e também de associações e projetos comuns, aproveitando o fato de o mercado nacional ser bastante desenvolvido e ter profissionais especializados.

“Essa é a motivação para fazer terceirização por meio de plataformas brasileiras”. Colcher acredita que esse caminho começará a ser aprofundado agora. “Acho que vão sair muitos acordos”, disse. Contatos serão intensificados daqui para a frente entre a Assespro e a Nasscom, entidade de TI da Índia, com essa finalidade.

A Nasscom congrega 1,3 mil empresas associadas, quase o mesmo número da Assespro (1,2 mil). A diferença, segundo Colcher, “é a quantidade de pesos-pesados na Nasscom. São grandes empresas que faturam bilhões de dólares por ano”, acrescentou. (Agência Brasil - Alana Gandra)



Últimas

2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%

Ver mais »