Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Desemprego na região metropolitana de São Paulo atinge em maio menor índice desde 1991 30/06/2010

Mesmo estável e praticamente sem alterações em comparação ao mês de abril, a taxa de desemprego de maio, na região metropolitana de São Paulo, é a menor para o quinto mês do ano, desde 1991. A taxa ficou em 13,3%, índice também registrado em maio de 1991. No ano passado, a taxa de desemprego de maio foi de 14,8%.

Os dados são da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), divulgada hoje (30) pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O número de desempregados em São Paulo, em maio, foi estimado em 1,42 milhão de pessoas, cinco mil a menos do que foi registrado em abril.

A pesquisa mostrou que a taxa de desemprego também manteve-se estável em maio no conjunto das outras seis regiões metropolitanas analisadas – Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e Distrito Federal. Incluindo a região metropolitana de São Paulo, a taxa de desemprego nessas regiões foi de 13,2%, uma pequena queda em comparação a abril (13,3%). O total de desempregados nas sete regiões foi estimado em 2,9 milhões de pessoas.

Também houve uma pequena redução no nível de ocupação, de 0,2%, devido ao fechamento de 32 mil postos de trabalho. Apesar disso, 38 mil pessoas deixaram a situação de desemprego de abril a maio. O total de pessoas ocupadas nas sete regiões metropolitanas, no período analisado, foi calculado em 19 milhões e a população economicamente ativa – que compreende o total de pessoas em condições de exercer uma atividade – em 21,9 milhões.

De acordo com a pesquisa, houve uma queda, em maio, no número de assalariados (0,4%), especialmente no setor privado (0,7%), com um aumento de empregados no setor público (1,5%). No setor privado, 99 mil pessoas deixaram a formalização, ou seja, o emprego com carteira assinada, enquanto o contingente de autônomos recebeu mais 44 mil pessoas. Outros 25 mil trabalhadores passaram a se somar ao universo dos empregos sem carteira assinada. As informações são da Agência Brasil - Elaine Patrícia Cruz.



Últimas

2021/04/19 » O que é Ibovespa
2021/04/19 » Setor energético terá investimentos de R$ 3 tri até 2030, diz ministro
2021/04/19 » Banco Central altera norma para segunda fase do open banking
2021/04/16 » Serviços registram crescimento de 3,7% em fevereiro, diz IBGE
2021/04/16 » LDO de 2022 destravará gastos com obras em caso de atraso no Orçamento
2021/04/16 » Projeto da LDO prevê crescimento de 2,5% para o próximo ano
2021/04/16 » Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real
2021/04/16 » Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias
2021/04/16 » IGP-10 acumula inflação de 31,74% em 12 meses, diz FGV
2021/04/15 » Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa
2021/04/15 » Indicador Antecedente tem queda de 2,2% em março, revela FGV
2021/04/15 » Vendas nos supermercados têm alta de 5,18% em fevereiro
2021/04/15 » Economia abre consulta pública para debater nova Lei de Licitações
2021/04/15 » Impacto da pandemia é maior para trabalhadores jovens, diz Ipea
2021/04/15 » Confiança do empresário cai pelo quarto mês seguido, diz CNI
2021/04/14 » Mais de 620 mil micro e pequenas empresas foram abertas em 2020
2021/04/14 » Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea
2021/04/14 » Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril, aponta Procon-SP
2021/04/14 » Comércio varejista cresce 0,6% em fevereiro, diz IBGE
2021/04/13 » Calendário de restituições não muda com novo prazo do Imposto de Renda

Ver mais »