Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Procura por consórcios para aquisição de bens aumenta 33,2% no primeiro semestre 10/08/2010

Os brasileiros estão comprando mais casas, carros e motos por meio de consórcios. O volume negociado cresceu 33,2% de janeiro a junho deste ano, incluindo todos os tipos de bens comercializados, e alcançou R$ 28,5 bilhões ante os R$ 21,4 bilhões registrados no mesmo período de 2009. Os dados foram divulgados hoje (10) pela Associação Brasileira de Administradores de Consórcios (Abac).

O segmento de veículos continua líder na escolha de quem decide adquirir um bem por consórcio. Com uma participação de 3,2 milhões de consorciados, quantidade 6,6% acima do primeiro semestre do ano passado, as cotas de veículos vendidas alcançaram 858,7 mil, uma alta de 10,8% . No período, 423,3 mil consorciados foram contemplados.

Já na área de compra de imóveis, houve expansão de 8,7% no número de participantes (562 mil) e de 12,2% nas vendas de cotas (110,2 mil). No primeiro semestre, o total de consorciados contemplados aumentou 6,4% com 33,1 mil aquisições. O valor médio dos negócios atingiu R$ 93,4 mil ante R$ 89,4 mil, uma alta de 4,4%.

O presidente da Abac, Paulo Roberto Rossi, atribuiu o aumento dos negócios “à inexistência de juros, às novas modalidades de utilização do FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço] no consórcio de imóveis e à maior presença das classes C e D”, nas contratações.

Na análise do economista Alcides Leite, professor da Escola de Negócios da empresa de consultoria Trevisan, esse desempenho reflete o crescimento da economia do país. Segundo ele, há uma certa vantagem na opção pelos consórcios, mesmo considerando a cobrança da taxa de administração.

Mas, para saber se o consumidor está fazendo ou não um bom negócio, ele deve fazer uma pesquisa no mercado, aconselha Leite. De acordo com o economista, nos financiamentos convencionais, os juros médios estão em torno de 2% para a compra de veículos, por exemplo, e , dependendo da empresa que o consorciado for negociar, o índice poderá ficar abaixo disso.

No caso dos consórcios de imóveis, ele observa que “se for sorteado logo no começo , o consorciado poderá obter o bem de forma mais rápida do que a compra com o imóvel ainda na planta”. Além disso, “se a pessoa não tiver pressa pode ser um meio de poupança”. As informações são da Agência Brasil - Marli Moreira.



Últimas

2019/10/21 » Gás de botijão residencial aumenta para as distribuidoras
2019/10/18 » Bolsonaro assina lei para repartir dinheiro de leilão de petróleo
2019/10/18 » Setembro tem a maior criação de emprego formal para o mês desde 2013
2019/10/18 » IGP-M acumula inflação de 3,33% em 12 meses
2019/10/18 » Índice de Confiança do Empresário Industrial fica estável pelo 3º mês
2019/10/18 » São Paulo é o primeiro em três itens de ranking de competitividade
2019/10/18 » Leilão de energia movimenta R$ 44 bilhões em nove estados
2019/10/16 » PIB tem alta de 0,6% no trimestre encerrado em agosto, diz FGV
2019/10/16 » Dia Mundial da Alimentação destaca valor da refeição saudável
2019/10/16 » Mais de 1 milhão de estudantes já visualizaram o cartão do Enem
2019/10/15 » Publicado decreto que regulamenta o trabalho temporário
2019/10/15 » Governo libera R$ 7,27 bi do Orçamento com recursos do petróleo
2019/10/15 » Nova cota para compras em free shops começa em 2020, diz presidente
2019/10/14 » Atividade econômica cresce 0,07% em agosto no Brasil
2019/10/14 » Nobel de Economia premia trio pelo combate à pobreza no mundo
2019/10/14 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação para 3,28% em 2019
2019/10/11 » BC dá aval para Cadastro Positivo começar a funcionar
2019/10/11 » CNI diz que PIB crescerá 0,9% este ano
2019/10/11 » Tratamento de médicos da USP faz desaparecer células de linfoma
2019/10/11 » Setor de serviços recua 0,2% de julho para agosto

Ver mais »