Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Inflação medida pelo IPC-S atinge maior taxa desde a segunda prévia de fevereiro 01/12/2010

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV) encerrou o mês de novembro com alta de 1%, o que representa um acréscimo de 0,15 ponto percentual sobre a taxa da apuração anterior.

O resultado é o maior desde a segunda prévia de fevereiro, quando a taxa alcançou 1,04%. O índice se refere às variações de preços no período de 22 a 30 de novembro, comparado aos 30 dias anteriores.

Os alimentos foram os que mais influenciaram a elevação, com aumento de 2,27%, em média, 1,98%. Entre os itens que tiveram destaque estão as carnes bovinas (de 9,43% para 10,71%), as frutas (de 2,71% para 3,95%) e os adoçantes (de 4,85% para 7,14%).

Em habitação, a taxa passou de 0,30% para 0,43%, com destaque para o condomínio residencial (de 0,16% para 1,08%).

Embora tecnicamente o resultado do grupo vestuário seja avaliado como estável, com variação de 1,01% ante 1%, o segmento de roupas femininas teve expressiva correção, passando de 0,27% para 0,41%. Em saúde e cuidados pessoais, ocorreu avanço de 0,23% para 0,39%, com destaque para os artigos de higiene pessoal (de –0,22% para 0,31%).

No grupo educação, leitura e recreação, houve uma elevação de 0,20% para 0,34%, motivada pelo reajuste nas passagens aéreas (de –0,01% para 5,86%).

Em transportes, a taxa passou de 0,68% para 0,69%, com destaque para a tarifa de ônibus urbano (de 0,27% para 0,41%). Em despesas diversas, a taxa atingiu 0,31%, ante 0,25%, sob o efeito da elevação de preço da ração para animais domésticos (de 0,36% para 1,58%).

Na lista dos principais itens que pressionaram a inflação estão a alcatra (de 9,15% para 11,80%), carne moída (de 9,66% para 9,36%), batata-inglesa (de 12,72% para 11,27%), o contrafilé (de 9,38% para 10,74%) e açúcar refinado (de 5,44% para 8,43%). (Marli Moreira, da Agência Brasil)



Últimas

2021/01/27 » Pandemia e fim dos auxílios podem reverter retomada econômica
2021/01/27 » Confiança na construção civil recua depois de seis altas, diz FGV
2021/01/27 » Confiança do consumidor cai pelo quarto mês consecutivo
2021/01/27 » Custo da construção sobe 0,93% em janeiro, anuncia a FGV
2021/01/26 » Micro e pequenas empresas têm até sexta-feira para aderir ao Simples
2021/01/26 » Queda na arrecadação foi “resultado excelente”, diz Guedes
2021/01/26 » Confaz divulga nova tabela de preços médios de combustíveis
2021/01/25 » Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
2021/01/25 » Cepal: exportações da América Latina e do Caribe caíram 13% em 2020
2021/01/25 » Brasileiros acreditam que inflação será de 5,2% nos próximos 12 meses
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/22 » Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
2021/01/22 » Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
2021/01/22 » Pesquisa da Conab indica queda na produção nacional de café em 2021
2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC

Ver mais »