Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Mantega diz no G20 que Brasil é contrário a limitação do fluxo de capitais 18/02/2011

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje (18), em Paris, que o Brasil é contrário à proposta de algumas potências desenvolvidas do G20, que querem estabelecer critérios comuns para avaliar os desequilíbrios econômicos globais. Dentre os critérios, está o de limitar do fluxo de entrada de capitais, medida que desagrada ao Brasil.

No primeiro dia da reunião entre os ministros de finanças das 20 maiores economias do mundo, Mantega disse que não há consenso sobre a questão entre os países do Bric (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Salientou, porém, que se houver necessidade, o Brasil terá meios de controle sobre os movimentos de capitais. “Se houver grande fluxo, então teremos de adotar novas medidas”.

As afirmações foram feitas depois de reunião à parte, entre os representantes do Bric. Na oportunidade, Mantega defendeu a vigilância das políticas cambiais que tenham efeitos sobres os fluxos globais de capital, mas acrescentou que “este é um problema para os países emergentes” e não para os mais ricos.

Segundo Mantega, os países formadores do Bric não estão de acordo com certos indicadores propostos pelo G20 para medir os desequilíbrios econômicos mundiais. Caso, por exemplo, de avaliação dos balanços correntes, que incluem as transações de serviços e os fluxos de capital que, no entender de Mantega, podem causar distorções. "Concordamos em não tomar a conta corrente como indicador, mas sim a conta de bens e serviços".

O ministro brasileiro disse que o encontro do G20 “não deve estabelecer limites”, e destacou que mais importante que os indicadores são as consequências dos desequilíbrios econômicos globais. Segundo ele, o colegiado representativo das maiores economias do mundo, reunido em Paris até amanhã, deve se limitar a emitir “recomendações” sobre os critérios de avaliação dos desequilíbrios, como balança corrente, taxas de juros, reservas cambiais, dívida, déficit público e nível de poupança, dentre outros. (Agência Brasil, com informações da Lusa)



Últimas

2020/02/27 » Contas públicas tem superávit recorde de R$ 44,12 bi em janeiro
2020/02/27 » Veja as dicas da OMS para se proteger do novo coronavírus
2020/02/27 » Com 11 casos, SP lidera registro de suspeitos de coronavírus no país
2020/02/21 » Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Carnaval nesta sexta-feira
2020/02/21 » Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
2020/02/20 » Banco Central injeta R$ 135 bilhões na economia
2020/02/20 » Programa para fazer Declaração do Imposto de Renda já está disponível
2020/02/20 » Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro
2020/02/19 » Comissão Europeia quer criar mercado único de dados
2020/02/19 » Confiança da indústria cai em fevereiro depois de 3 altas seguidas
2020/02/19 » Confiança da indústria cresce 0,7 ponto na prévia de fevereiro
2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE

Ver mais »