Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Especialistas destacam conduta ética de Alencar na vida política e na luta contra o câncer 30/03/2011

Uma frase dita pelo ex-vice-presidente José Alencar durante a luta contra o câncer atingiu em cheio a classe política brasileira e, por consequência, canalizou o sentimento de milhares de cidadãos que têm uma conduta ética e moral irrepreensível em seus vidas. “Não tenho medo da morte, tenho medo da desonra”, frisava ele. Essa é a avaliação de cientistas políticos da Universidade de Brasília (UnB), que durante a crise política do governo Fernando Collor fizeram estudos para tentar detectar até que ponto as denúncias de corrupção do Estado atingem diretamente o brasileiro comum.

A professora e cientista política, Lúcia Avelar, integrou esse grupo. Segundo ela, uma das conclusões dessa análise é que esse tipo de cidadão é visto, geralmente, como “uma pessoa mole, boba”, que não sabe tirar vantagens por meio de condutas nem sempre morais e éticas. Ela acrescentou que ao encarnar esse tipo de brasileiro, José Alencar personalizou o “cidadão comum”.

 

“Para uma pessoa honrada como José Alencar é melhor a morte do que ser desonrado”, destacou a professora da UnB. Ela destacou que tal postura não se construiu “de uma hora para outra”, mas no decorrer de toda uma vida pessoal e profissional.

 

Ela também avaliou a importância de Alencar na manutenção da estabilidade política do país no momento mais grave dos oito anos do governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2005 e 2006, o país foi surpreendido por uma série de denúncias de corrupção e compra de votos de parlamentares, pelo governo, para que aprovassem matérias, no legislativo, de seu interesse. Ao fim dos trabalhos da comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) dos Correios, 40 pessoas foram acusadas de participar do esquema, entre elas autoridades do porte do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.

 

Lúcia Avelar ressaltou que o então vice-presidente sempre foi um “admirador e companheiro fiel do presidente Lula”. Foi com essa convicção, acrescentou ela, que José Alencar “não se deixou cair no canto da sereia” de empresários e políticos que viam nele a oportunidade assumir o poder “por se tratar de uma pessoa do setor empresarial e acharem que, com ele, seria diferente”.

 

Em entrevista à Agência Brasil, o governador de Sergipe, Marcelo Déda, fez a mesma avaliação daquele momento político vivido por Lula. Para ele, ao se manter fiel ao presidente, Alencar preservou o governo de maiores desgastes e, com Lula, foi o maior responsável pela retomada da normalidade política no país.

 

O também cientista político da UnB, Ricardo Caldas, analisa que a admiração do cidadão brasileiro pela postura de José Alencar vai além de sua participação como político. Segundo ele, Alencar não construiu sua carreira na vida política e partidária mas, sim, na iniciativa privada. “Ele entrou na vida pública como um político zero quilômetro, sem cobradores”.

 

Outro fato a seu favor foi a disposição de luta contra uma doença, o câncer, que “é o calvário do século 21”, disse Caldas. Ao dar frequentes declarações, durante os últimos 14 anos, de fé em Deus e pedir aos brasileiros que orassem por sua saúde, o ex-vice-presidente “conquistou os corações de todos os cristãos, independente da religião de cada um”, ressaltou o cientista político.

 

Ao responder a um repórter sobre o eventual medo da morte e afirmar que temia mais a desonra, José Alencar trouxe, sem querer, o debate da ética à tona, disse Ricardo Caldas. “Ele, nesse aspecto, levou [para o debate] a questão da ética na política. Ao comentar sobre sua saúde, com a resposta, José Alencar atirou em uma coisa e acertou o Congresso Nacional inteiro. Caso não fosse vítima do câncer e continuasse na vida pública, seria a pessoa certa para conduzir o debate sobre a reforma política”. (Marcos Chagas, da Agência Brasil)



Últimas

2020/11/25 » Anatel prevê leilão do 5G no final do primeiro semestre de 2021
2020/11/25 » Mercado de capitais analisa critérios socioambientais de empresas
2020/11/25 » Pix tem quase 4,4 milhões de portabilidade de chaves
2020/11/24 » Maioria dos reajustes até outubro teve ganhos reais, diz Dieese
2020/11/24 » Mercado aumenta previsão de inflação e prevê queda menor do PIB
2020/11/24 » Guedes anuncia que vai para o "ataque" com privatizações e reformas
2020/11/23 » Mais de 60% dos internautas no país usam serviços públicos digitais
2020/11/23 » Guia de financiamento ajuda empresas interessadas em sustentabilidade
2020/11/23 » Em reunião do G20, Guedes diz que recuperação do Brasil surpreende
2020/11/20 » Economia cresceu 7,5% do segundo para o terceiro trimestre, diz FGV
2020/11/20 » Produção e empregos estão em alta na indústria, diz CNI
2020/11/20 » Confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro, diz CNC
2020/11/18 » Aumento de exportações industriais traria R$ 376 bi para economia
2020/11/18 » Quase dois terços das indústrias esperam faturar mais em 2021
2020/11/18 » Brics apoia candidatura do Brasil para Conselho de Segurança da ONU
2020/11/17 » Pix terá pagamentos programados e troco em dinheiro
2020/11/17 » PagTesouro começa a disponibilizar Pix como forma de pagamento
2020/11/17 » Consulta pública busca soluções digitais para pequena e média empresa
2020/11/16 » Pix: novo sistema de pagamento instantâneo entra em funcionamento
2020/11/16 » Índice de Confiança do Empresário Industrial sobe em novembro

Ver mais »