Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Economistas reconhecem importância de Alencar no setor empresarial 30/03/2011

O ex-vice-presidente da República José Alencar, além de empresário bem-sucedido num setor difícil da economia – a indústria têxtil – teve um importante papel de avalista do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no primeiro mandato, diante do setor empresarial do país. Essa é a opinião do coordenador da área de Economia Aplicada da Fundação do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas, no Rio de Janeiro, Armando Castelar, e do professor do Departamento de Administração da Universidade de Brasília (UnB), José Matias Pereira.

Para Castelar, Alencar foi exemplo como “empresário extremamente competitivo”, pois demonstrou coragem para enfrentar a concorrência chinesa, “quando todos temiam que o setor [têxtil] no Brasil fosse tomado pelos asiáticos”. Ele destaca que Alencar investiu, comprou máquinas, modernizou sua empresa e saiu vitorioso da concorrência com os chineses, num setor que não tem commodities para garantir mercado no exterior, segundo Castelar. E marcou posição como uma frase que demonstra sua coragem e visão empresarial: “Estou pronto para vender camisas aos chineses em Pequim.”

 

O especialista considera que, em relação às taxas de juros no Brasil, José Alencar externou uma visão comum aos empresários, que se sentem pressionados pelo elevado patamar que vem sendo praticado no país há mais de duas décadas. “Ele ganhou muita visibilidade ao falar do assunto, pelo cargo que ocupava, mas o problema é como fazer isso sem aumentar a inflação.”

 

Para Armando Castelar, José Alencar não deve ser lembrado apenas por esses aspectos da sua vida pública, mas como “uma pessoa muito importante para os brasileiros pela sua coragem na luta contra o câncer. Ele foi uma pessoa muito especial, que manteve sempre o bom humor e uma visão otimista de vida.”

 

Para o economista da UnB José Matias Pereira, “a figura de José Alencar aparece no cenário nacional num contexto político complexo – transição da era Fernando Henrique para o primeiro governo Lula – quando, eleito senador por Minas Gerais. “Ele aceitou a convocação para participar da chapa de Lula e se tornou um avalista, diante dos empresários, que o futuro governo cumpriria os contratos e respeitaria as regras da economia, sem provocar sobressaltos no país.”

 

Esse papel, segundo o professor, foi bem exercido por José Alencar. “Ele trilhou o caminho do centro [na política] e possuía o estilo conciliador que caracteriza os políticos mineiros”. Assim, como vice-presidente, ele cumpriu um importante papel para ajudar a manter a economia estável no país.

 

Em relação às taxas de juros, o professor Matias diz que Alencar, ao defender a redução da Selic pelo Banco Central, nunca deixou de ter razão. “O caminho que o Brasil tem trilhado nas últimas duas décadas é realmente preocupante. E quando o mundo entrou em recessão e baixou as taxas, o Brasil manteve a política de juros altos”.

 

Apesar disso, o professor José Matias Pereira acha que o ex-vice-presidente da República “não pregou no deserto”, pois a postura dele levou ao debate público essa questão e foi relevante para o país. (Jorge Wamburg, da Agência Brasil)



Últimas

2021/05/06 » Entidades do setor produtivo criticam aumento de juros
2021/05/06 » Alta da Selic terá pequeno impacto sobre juros finais, diz Anefac
2021/05/06 » Copom eleva juros básicos da economia para 3,5% ao ano
2021/05/06 » Produção industrial cai 2,4% de fevereiro para março
2021/05/06 » Copom eleva juros básicos da economia para 3,5% ao ano
2021/05/05 » Dia das mães: data é a mais importante para o setor de flores
2021/05/05 » Relator da reforma tributária propõe fundir cinco tributos no IBS
2021/05/05 » Pagamento do abono anual para segurados da Previdência é antecipado
2021/05/05 » Medida restabelece regras flexíveis para compras e contratos públicos
2021/05/05 » Famílias com dívidas em atraso crescem para 67,3% em abril
2021/05/05 » MP reinstitui dispensa de licitação para compras relacionadas à covid
2021/05/05 » Reforma tributária tem de "atacar" programas de isenção, afirma Guedes
2021/05/05 » Inflação na saída das fábricas fica em 4,78% em março, diz IBGE
2021/05/04 » Balança comercial tem melhor saldo da história para meses de abril
2021/05/04 » Petróleo: produção na Bacia de Santos ultrapassa 70% do total nacional
2021/05/04 » Brasil não renovará pacto de transporte naval com Argentina e Uruguai
2021/05/04 » Mercado financeiro espera que Selic suba para 3,5% ao ano nesta semana
2021/05/03 » Maior leilão da história trará o 5G ao Brasil
2021/05/03 » Trabalho em home office tende a continuar após fim da pandemia
2021/05/03 » Banco Central nega falha de segurança no Pix e adverte contra golpes

Ver mais »