Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Economias dos sete países mais industrializados podem crescer 3% em média, diz OCDE 05/04/2011

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou hoje (5) um relatório informando que há uma tendência de crescimento das economias dos países que compõem o grupo dos países mais industrializados no mundo, o G7. Na relação estão a França, Alemanha, Itália, o Japão, Reino Unido e os Estados Unidos. Mas há um alerta sobre o Japão: o terremoto e o tsunami ocorridos no mês passado podem afetar as perspectivas.

A OCDE calcula que o crescimento econômico em economias do G7, exceto no caso do Japão, pode atingir uma taxa anualizada média de 3% no primeiro semestre de 2011. "As perspectivas de crescimento são mais elevadas em toda a área da OCDE e a recuperação está se tornando autossustentada”, afirmou o chefe do escritório da organização, Carlo Padoan.

Os desafios do G7, segundo a OCDE, envolvem a alta taxa de desemprego que se mantém no nível de 2 pontos percentuais acima do patamar do início da crise econômica global. Também há advertências de que a instabilidade no Oriente Médio e Norte da África, associada aos aumentos nos preços dos combustíveis, possa interferir na economia dos países industrializados.

Como aspectos positivos, os especialistas avaliaram, no relatório, que os balanços apresentados pelas empresas que atuam nas áreas do G7 são “saudáveis”, estimulando o crescimento econômico por intermédio de investimentos privados. A tendência é de abertura de vagas de empregos e de um impacto favorável sobre o consumo privado.

A situação considerada uma exceção é o caso japonês. Atingido por um terremoto seguido por um tsunami no último dia 11, o Japão vive um momento político, econômico e social delicado. Os últimos dados das autoridades japonesas indicam que os incidentes provocaram 12.157 mortos e deixaram 15.496 desaparecidos. Para a OCDE, a recuperação dos investimentos no Japão pode ser mais lenta do que a avaliação anterior à catástrofe previu.

Porém, por cautela, os especialistas da OCDE consideram ainda cedo para fazer avaliações futuras sobre a recuperação do Japão. No documento divulgado hoje não há perspectivas sobre o país e a região é colocada como exceção no G7.

As primeiras estimativas das autoridades japonesas informam que houve perdas de aproximadamente 3,3% a 5,2% do PIB anual. Como uma primeira projeção, o crescimento no Japão pode ser reduzido de 0,2 a 0,6 ponto percentual (não anualizado) no primeiro trimestre e de 0,5 e 1,4 ponto percentual no segundo trimestre. (Renata Giraldi, da Agência Brasil)



Últimas

2020/11/27 » Volta de cobrança do IOF sobre crédito renderá cerca de R$ 2 bi
2020/11/27 » Indústrias do Mercosul e da UE pedem urgência para acordo comercial
2020/11/27 » Indústria paulista mantém expansão no ano apesar de queda em outubro
2020/11/26 » Expectativa de vida no Brasil sobe para 76,6 anos em 2019
2020/11/26 » Campos Neto: Pix vai gerar inclusão e reduzir custos para população
2020/11/26 » Vendas de máquinas e equipamentos têm alta de 16% em outubro
2020/11/25 » Anatel prevê leilão do 5G no final do primeiro semestre de 2021
2020/11/25 » Mercado de capitais analisa critérios socioambientais de empresas
2020/11/25 » Pix tem quase 4,4 milhões de portabilidade de chaves
2020/11/24 » Maioria dos reajustes até outubro teve ganhos reais, diz Dieese
2020/11/24 » Mercado aumenta previsão de inflação e prevê queda menor do PIB
2020/11/24 » Guedes anuncia que vai para o "ataque" com privatizações e reformas
2020/11/23 » Mais de 60% dos internautas no país usam serviços públicos digitais
2020/11/23 » Guia de financiamento ajuda empresas interessadas em sustentabilidade
2020/11/23 » Em reunião do G20, Guedes diz que recuperação do Brasil surpreende
2020/11/20 » Economia cresceu 7,5% do segundo para o terceiro trimestre, diz FGV
2020/11/20 » Produção e empregos estão em alta na indústria, diz CNI
2020/11/20 » Confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro, diz CNC
2020/11/18 » Aumento de exportações industriais traria R$ 376 bi para economia
2020/11/18 » Quase dois terços das indústrias esperam faturar mais em 2021

Ver mais »