Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Brasil venderá títulos no exterior sempre que situação for favorável, diz Arno 06/04/2011

O Brasil voltará a vender títulos no exterior sempre que as condições no mercado internacional forem favoráveis, informou hoje (6) o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin. Ele destacou ainda que, por enquanto, os problemas com o câmbio, com o real sobrevalorizado e o dólar em queda, não atrapalharam a emissão de títulos do governo brasileiro.

"Não deixaremos de fazer [emissões] por esse motivo. Até porque elas são qualitativas e não chegam a influenciar por esse ângulo [fluxo de moeda estrangeira]. As nossas colocações são mais qualitativas”, disse. O Brasil, ao lançar títulos no mercado internacional, nem sempre tem a intenção de captar recursos. Às vezes, as operações servem para avaliar a receptividade dos investidores em relação aos papéis brasileiros e criar parâmetros para novas emissões do governo e de empresas.

 

O secretário minimizou a necessidade do país de fazer captações no momento, já que o Brasil tem uma dívida externa em queda. “Liquidamente, nós não fazemos emissões, no caso externo. Agora, as condições de mercado a gente analisa e faz a emissão quando acha que [a situação] está bem”, informou. Arno reafirmou ainda que os recursos do Fundo Soberano poderão ser usados como parte do “arsenal de medidas” para enfrentar a valorização do real ante o dólar. Ele não quis confirmar se ações neste sentido serão anunciadas esta semana.

 

Na última sexta-feira (1º), a agência de classificação de risco Fitch melhorou a nota do Brasil para o grau de investimento. A melhora na classificação serve de referência para que os investidores passem a confiar ainda mais no país e pode trazer mais dólares para o mercado doméstico. 

"Achamos isso um reconhecimento internacional, inclusive da situação fiscal brasileira. É bom que todos analisem bem e que as agências de rating, uma pelo menos, entendam que a nossa situação hoje está melhor do que estava algum tempo atrás”, disse. Ele destacou ainda que, em relação aos fundamentos econômicos, o Brasil está “muito tranquilo e forte”.

 

Arno Augustin participou hoje de reunião na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados. (Daniel Lima, da Agência Brasil)



Últimas

2020/12/04 » Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
2020/12/04 » Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes
2020/12/04 » Pix tem 100 milhões de chaves registradas
2020/12/03 » Concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias entram no PPI
2020/12/03 » PPI tem 115 ativos para leilões e projetos de concessão em 2021
2020/12/03 » Venda de veículos automotores aumenta 0,45% de outubro para novembro
2020/12/03 » Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
2020/12/02 » CNI: produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no 3º trimestre
2020/12/02 » Balança comercial registra superávit de US$ 3,73 bi em novembro
2020/12/02 » CNA prevê aumento da produção do agronegócio no próximo ano
2020/12/02 » População desocupada atinge 13,76 milhões em outubro
2020/12/01 » Ipea: investimentos têm alta de 3,5% em setembro
2020/12/01 » Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit
2020/12/01 » Estimativa do mercado financeiro para a inflação sobe para 3,54%
2020/11/30 » ANP retoma a 17ª Rodada de Licitações
2020/11/30 » Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro
2020/11/30 » Confiança da indústria atinge maior valor em dez anos, diz FGV
2020/11/30 » Fiscalização do Procon-SP registra infração em 70% de lojas visitadas
2020/11/30 » Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre
2020/11/30 » Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Ver mais »