Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Para lojistas, aumento do IOF será inócuo para o controle de preços 08/04/2011

As novas medidas anunciadas pelo governo para restringir o acesso ao crédito terão um forte impacto no comércio varejista, mas não vão resolver o problema da inflação, acredita o presidente da Confederação Nacional dos Diretores Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior. Segundo ele, se a justificativa for apenas o controle de preços, a medida será inócua.

Pellizzaro Junior destacou que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março (0,79%), divulgado ontem (7), foi mais pressionado por produtos e serviços “não afetos” à restrição de crédito, como alimentação, transporte e aluguel. “Não acredito que isso vá servir como uma maneira de brecar essa pressão inflacionária que está acontecendo”, enfatizou.

Ontem à noite, em São Paulo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que, a partir de hoje (8), a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para operações de crédito de pessoa física passará de 1,5% para 3% ao ano, como forma de tentar frear a inflação. O decreto com a elevação foi publicado no Diário Oficial da União de hoje.

Pellizzaro Junior destacou que a pressão inflacionária é decorrente do sucesso da própria política econômica do governo, que aumentou o consumo. Além disso, com a definição do salário mínimo em R$ 545, mais R$ 40 bilhões serão injetados na economia.

“Isso sim vai gerar pressão inflacionária. Não tenho uma bola de cristal para saber qual a medida mais adequada, mas tenho a convicção de que o aumento de IOF como medida restritiva de crédito não vai segurar isso”, advertiu.

O ministro da Fazenda justificou a elevação do IOF como uma forma de restringir o consumo, que aumentou por causa do maior acesso ao crédito. Para o presidente da CNDL, os setores que sentirão mais o impacto da medida são os de automóveis e eletrodomésticos de grande porte. Ele disse, no entanto, que o aumento do imposto não terá impacto sobre a inflação nas vendas dos setores de alimentação, vestuário e calçados.

Pellizaro Junior orienta o consumidor a calcular bem o impacto das compras no orçamento. “Na verdade, ele vai ter que dar uma segurada. Vai ter que avaliar e procurar prazos menores para poder pagar menos juros e menos impostos. Na verdade, para o consumidor, o IOF tem o mesmo impacto dos juros”, disse. (Daniel Lima, da Agência Brasil)



Últimas

2020/09/18 » Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
2020/09/18 » Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
2020/09/18 » IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
2020/09/18 » CNI apresenta propostas para retomada da economia
2020/09/18 » Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses
2020/09/18 » Governo já desembolsou R$ 197 bilhões em auxílio emergencial
2020/09/17 » Entidades elogiam decisão do Copom de manter a Selic
2020/09/17 » Prefeitura de São Paulo adota home office permanente
2020/09/17 » PIB tem queda de 4% no trimestre encerrado em julho, aponta FGV
2020/09/16 » Petrobras quer vender mais ativos de exploração e produção
2020/09/16 » Saques no comércio com Pix começam no 2º trimestre de 2021
2020/09/16 » Concessionária da Malha Paulista e Norte-Sul antecipa outorgas
2020/09/15 » Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo
2020/09/15 » União pode quebrar se forem criados novos fundos, diz Guedes
2020/09/15 » Medidas de ajuste fiscal podem gerar economia de R$ 816 bi em dez anos
2020/09/14 » Governo federal qualifica rodovias e portos no PPI
2020/09/14 » Indicador de Atividade Econômica aponta crescimento de 2,8% em julho
2020/09/14 » ANP: empresas tem até dia 21 para se inscrever na oferta permanente
2020/09/14 » Inflação do acesso à internet superou índice geral em agosto
2020/09/11 » Demanda interna por bens industriais aumentou 5% em julho

Ver mais »