Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Aluguéis novos em São Paulo têm aumento recorde em 12 meses 16/06/2011

A alta do custo dos aluguéis novos de imóveis em São Paulo bateu mais um recorde em maio. Segundo o Sindicato da Habitação (Secovi-SP), a média dos aluguéis contratados no mês é 16,74% maior do que a verificada em maio do ano passado.

O percentual de aumento em 12 meses foi divulgado hoje (16) e é o mais alto já registrado pela Pesquisa Mensal de Locação do Secovi-SP, realizada desde janeiro de 2006. Ele supera em quase 1 ponto percentual o recorde anterior, registrado em abril (15,82%).

O aumento também é quase 7 pontos percentuais maior do que a alta dos aluguéis de contratos vigentes. Esses contratos são, em sua grande maioria, corrigidos pela inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que acumula alta de 9,77% em um ano.

A diferença entre o custo dos aluguéis novos e os vigentes, segundo o Secovi-SP, reflete um desequilíbrio entre a demanda por imóveis na capital paulista e quantidade de unidades disponíveis para locação. “Ainda há um desequilíbrio entre a oferta e a procura de imóveis para alugar na capital, mas aos poucos a situação está melhorando”, afirmou o vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP, Francisco Crestana, em comunicado da entidade.

A melhora citada por Crestana diz respeito à queda do ritmo mensal de aumento dos aluguéis novos. Em maio ante abril, a alta foi de 1,2%, o menor percentual em três meses. Na comparação entre abril e março, a alta havia sido de 2,2%.

As maiores altas de aluguel ocorreram nos imóveis de três dormitórios, que tiveram alta média de 2%. O aluguel das unidades de dois quartos subiu 1,1% e das de um dormitório, 0,8%.

O tipo de garantia mais usada nos contratos de aluguel firmados em maio foi o fiador (50% do total). A segunda forma mais usada foi o depósito antecipado de até três meses de aluguel (30%). Além disso, 20% dos novos inquilinos preferiram o seguro-fiança.

As casas e os sobrados foram os tipos de moradias locadas em menos tempo: entre 12 e 29 dias. Os apartamentos demoraram entre 17 a 36 dias para serem alugados. (da Agência Brasil, Vinicius Konchinski)



Últimas

2019/11/21 » BC organiza mutirão de renegociação de dívidas antes do Natal
2019/11/21 » América Móvil prevê investimentos de R$ 30 bilhões no Brasil
2019/11/21 » Guedes diz que abertura da economia será gradual
2019/11/19 » Petrobras reajusta gasolina em 2,8% nas refinarias
2019/11/19 » Setor de infraestrutura tem feito "mais com menos", diz secretário
2019/11/19 » Déficit primário encerrará o ano abaixo de R$ 80 bilhões, diz Guedes
2019/11/18 » Instituições financeiras elevam expectativa de inflação para 3,33%
2019/11/18 » Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
2019/11/14 » Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
2019/11/14 » Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos

Ver mais »