Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Varejo deve continuar aquecido, apesar das medidas de contenção do crédito 13/07/2011

Por causa do aumento do custo do crediário, o consumidor da cidade de São Paulo está mais cauteloso na hora de fazer compras a prazo. Mas essa cautela ainda não é suficiente para alterar as expectativas de vendas do comércio varejista neste segundo semestre. É o que mostram os dados de uma pesquisa com 500 consumidores feita pelo Programa de Administração do Varejo (Provar) da Fundação Instituto de Administração (FIA), em conjunto com a Felisoni Consultores Associados.

O levantamento mostra que 72,4% dos entrevistados continuam dispostos a comprar bens duráveis no terceiro trimestre, ante 75,6% que declararam a mesma intenção no terceiro trimestre de 2010. Mesmo com essa queda de 3,2 pontos percentuais, o índice está acima da média de 60% da série histórica, que começou em 2003.

Para Claudio Felisoni de Angelo, presidente do conselho do Provar, o resultado da pesquisa deve ser motivo de preocupação para o governo, que espera uma queda do consumo com as medidas de restrição ao crédito adotadas recentemente para segurar a inflação. “Os patamares [de vendas] estão preservados. Muito provavelmente fecharemos 2011 como um ano muito bom para o comércio, o que, certamente, implicará em maior preocupação do governo no controle da inflação”.

Em sete das dez categorias pesquisadas sobre o interesse de comprar pelo crediário, houve redução do desejo de consumo. No caso de automóveis e motocicletas, a intenção de compra caiu 24,2% entre o segundo e o terceiro trimestres. A segunda maior queda se deu na intenção de compra de produtos da linha branca, de eletrodomésticos como geladeiras, lavadoras e fogões (-22,6%).

Os produtos eletroeletrônicos mantêm-se à frente na preferência de consumo (12,8%) . Este percentual é ligeiramente superior ao registrado no segundo trimestre (12%) e supera o índice medido em igual período do ano passado (10,4%).

Na segunda posição está a intenção de consumo de produtos de informática (11,4%). Cine e foto ocupam o terceiro lugar, com queda de 15,8% sobre o mesmo período do ano passado (de 12,6% para 10,6%).

A queda da intenção de consumo, segundo Felisoni, está diretamente associada ao aumento da taxa média anual de juros, qua passou de 41,5% em maio de 2010 para 46,8% em maio deste ano. Felisoni atribuiu à demanda ainda aquecida o crescimento da massa salarial da indústria (8,05% entre março do ano passado e março deste ano) e, em especial, ao avanço do setor de serviços. Na análise dele, a melhora de renda das famílias que ganham entre quatro e dez salários mínimos é o que tem impulsionado os negócios. (da Agência Brasil)



Últimas

2020/09/24 » Custos industriais caem 1,5% no segundo trimestre
2020/09/24 » Ministro da Economia diz que reforma deve ter tributos alternativos
2020/09/24 » Contas externas têm saldo positivo de US$ 3,7 bilhões
2020/09/23 » Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020
2020/09/23 » CNI: atividade industrial segue em recuperação com alta do emprego
2020/09/23 » Indicadores recentes sugerem recuperação parcial da economia, diz BC
2020/09/22 » Brasil terá cota adicional na exportação de açúcar aos EUA
2020/09/22 » Estudo brasileiro aponta que covid-19 pode causar danos cerebrais
2020/09/22 » Mercado financeiro reduz projeção de queda da economia para 5,05%
2020/09/21 » Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro
2020/09/21 » Covid-19: maioria dos estados segue sem aulas presenciais
2020/09/21 » O que é o Sistema S?
2020/09/18 » Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
2020/09/18 » Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
2020/09/18 » IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
2020/09/18 » CNI apresenta propostas para retomada da economia
2020/09/18 » Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses
2020/09/18 » Governo já desembolsou R$ 197 bilhões em auxílio emergencial
2020/09/17 » Entidades elogiam decisão do Copom de manter a Selic
2020/09/17 » Prefeitura de São Paulo adota home office permanente

Ver mais »