Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
BNDES cria linha de financiamento para inovação e capital de giro de fornecedores da cadeia de petróleo e gás natural 04/08/2011

Os fornecedores da cadeia de petróleo e gás natural terão R$ 4 bilhões em financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para desenvolver suas atividades. O anúncio foi feito ontem (3) pela instituição e atende a fornecedores nacionais e estrangeiros instalados no país, visando a ampliar sua competitividade nos mercados doméstico e internacional.

Criado no âmbito do Plano Brasil Maior, anunciado ontem (2) pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, o Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de Bens e Serviços Ligados ao Setor de Petróleo e Gás Natural (BNDES P&G) já está em vigor e se estenderá até dezembro de 2015.

As condições financeiras incluem taxas de juros que variam de 4,5% ao ano, para a área de inovação, até 11,04%, para financiamento a capital de giro, nas operações diretas. A participação do banco nos financiamentos pode chegar, em alguns casos, a 100% dos projetos de inovação. Em projetos de implantação, modernização ou ampliação da capacidade produtiva, o BNDES poderá participar com até 90%.

O chefe do Departamento de Petróleo e Gás do BNDES, Ricardo Cunha, lembrou que o incentivo à inovação será cada vez mais necessário para enfrentar os “novos desafios do setor”. A exploração de petróleo no pré-sal é um deles, segundo Cunha. Ele destacou também que a cadeia de fornecedores de petróleo e gás é composta em sua grande maioria – cerca de 85% – de pequenas e médias empresas.

Cunha disse que o setor de bens de capital demanda volumes elevados de capital de giro. “Isso é outra novidade que o banco incluiu no programa, porque ele financia, principalmente, investimentos fixos e capital de giro associado”. Ele ressaltou que os fornecedores, em especial os de pequeno porte, tinham dificuldade em apresentar garantias para acessar o crédito e financiar a produção.

“Com esse programa, a gente abriu a possibilidade de ele [o pequeno fornecedor] usar o contrato que tem com uma indústria do setor de petróleo e gás. Esse contrato pode servir como garantia”. Isso significa que os fornecedores que já têm contratos com outras empresas de maior porte, consideradas companhias integradoras, terão mais facilidade em obter o empréstimo junto ao banco.

O programa poderá, ainda, apoiar a cadeia de fornecedores por meio de transações com empresas âncora, que tenham receita operacional bruta anual acima de R$ 90 milhões. “Essa empresa âncora teria a vantagem de custos um pouco mais reduzidos e a participação do banco poderia ser ampliada”. Para isso, a empresa-âncora tem que repassar pelo menos 30% do financiamento para os subfornecedores. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos
2019/11/11 » Impostos dificultam pequenos e médios negócios, dizem empresários
2019/11/11 » IBGE revisa PIB de 2017 de 1% para 1,3%
2019/11/08 » Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho
2019/11/08 » Petrobras recebe oferta de R$ 3,7 bilhões por Liquigás Distribuidora
2019/11/08 » Governo aumenta projeção de crescimento do PIB para 0,90%
2019/11/07 » Inflação de outubro é a menor para o mês desde 1998
2019/11/07 » Índice que serve de base para reajuste salarial tem variação de 2,76%
2019/11/07 » Seis em cada 10 empresários querem investir, mostra pesquisa do Sebrae
2019/11/07 » Poupança tem menor retirada líquida para outubro em cinco anos
2019/11/05 » Índice de Preços ao Produtor fica em 0,45% em setembro
2019/11/05 » Copom espera crescimento da economia brasileira no terceiro trimestre
2019/11/05 » Bolsa volta a bater recorde e aproxima-se dos 109 mil pontos
2019/11/05 » Índice-chave da Bolsa de Valores de Tóquio registra maior nível do ano
2019/11/05 » Premiês japonês e chinês preparam visita oficial do presidente da China ao Japão
2019/11/05 » Países do RCEP discutem futuro do acordo sem a Índia

Ver mais »