Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Para analista, mercados seguirão voláteis apesar da decisão dos EUA de manter juros perto de zero 09/08/2011

A decisão do Federal Reserve (FED), o Banco Central dos Estados Unidos, de manter os juros baixos por, pelo menos, mais dois anos, não muda muito o quadro atual de volatilidade das bolsas mundiais. A análise foi feita hoje (9) à Agência Brasil pelo coordenador de Economia Aplicada do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), Armando Castelar. “Não chega a significar nada muito grande, não. Tanto que a subida das bolsas está diminuindo”.

Para o economista, a expectativa em torno da reunião de hoje do FED explicou a recuperação sentida hoje na Bolda de Valores de São Paulo (Bovespa) após a queda expressiva de 8,08%, ontem (8). A decisão do FED "quer dizer apenas que ele não vai fazer nada que contraia a economia”, disse Castelar. O problema continua sendo, para ele, a combinação de baixo crescimento com desequilíbrio fiscal.

A crise norte-americana que afetou as bolsas mundiais já era anunciada há alguns meses, analisou Castelar. “O rebaixamento [da nota de risco da dívida dos Estados Unidos] teve um valor mais simbólico do que qualquer outra coisa”. Tanto é que os títulos americanos subiram de preço, observou.

Castelar explicou que, como os países ricos estão muito endividados, há a percepção de que o crescimento mundial vai ser baixo este ano. “E crescimento mundial baixo dificulta muito resolver o problema fiscal, porque as receitas tributárias ficam reduzidas e você precisa de mais gastos para o seguro desemprego, para programas de assistência social e assim por diante”.

Para o economista da FGV, as bolsas de valores subiram mais do que a recuperação das economias desde o início de 2009, por causa dos pacotes governamentais de estímulo e da liquidez que havia nos mercados. Agora, em função das estatísticas liberadas na última semana, referentes ao Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos, as bolsas estão se adaptando a uma realidade nova “de que o mundo, na verdade, não está indo muito bem. Os Estados Unidos estão crescendo quase nada, a Europa está desacelerando”.

A crise, para Castelar, decorre da percepção de que o mundo vai crescer pouco e de que há uma chance de mergulhar em uma nova recessão. “Com isso, fica muito difícil a situação fiscal, que reduz os instrumentos que os governos têm para fazer frente à crise, como eles foram capazes de fazer em 2007”.

No Brasil, a Bovespa vem sofrendo quedas, segundo Castelar, também por “questões nossas”. Entre elas, a ingerência excessiva do governo, de acordo com a visão do mercado, no processo de capitalização da Petrobras e na mudança do comando da mineradora Vale, além das incertezas em relação à inflação. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2020/01/24 » Déficit primário pode ser zerado até 2022, diz secretário
2020/01/24 » Arrecadação federal com impostos chega a R$ 1,537 trilhão em 2019
2020/01/24 » Confiança do empresário é a maior desde junho de 2010, diz CNI
2020/01/22 » CNC: intenção de consumo das famílias tem melhor janeiro desde 2015
2020/01/22 » Confiança da indústria cresce 1,1 ponto na prévia de janeiro
2020/01/22 » Brasil cria centro para indústria 4.0 no Fórum Econômico Mundial
2020/01/21 » Brasil passou para quarto destino de investimentos no mundo em 2019
2020/01/21 » Inflação dos aluguéis acumula taxa de 7,91% em 12 meses, diz FGV
2020/01/21 » Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos
2020/01/20 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,56%
2020/01/20 » Agência Brasil explica: quem pode ser um microempreendedor individual?
2020/01/17 » Varejo de SP espera crescimento de 5% em vendas de materiais escolares
2020/01/17 » Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013
2020/01/17 » Dólar fecha acima de R$ 4,19, no maior valor desde início de dezembro
2020/01/17 » Atividade econômica cresce 0,18%, diz Banco Central
2020/01/16 » Dataprev é incluída no Programa Nacional de Desestatização
2020/01/16 » Ipea: alíquota de novo imposto proposto em PECs deve ficar em 27%
2020/01/16 » Inflação pelo Índice Geral de Preços–10 cai de 1,69% para 1,07%
2020/01/15 » Governo quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020
2020/01/15 » Novo reajuste do mínimo pode ter impacto de R$ 2,13 bi no Orçamento

Ver mais »