Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Ex-ministro da Fazenda diz que risco de repetição da crise de 2008 é baixo 09/08/2011

O risco de repetição da crise econômica de 2008 é baixo porque os fatores que desencadearam o travamento do crédito em todo o mundo não estão presentes, disse hoje (9) o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega, ao participar de audiência, na Câmara dos Deputados, para discutir o agravamento da crise financeira internacional e a nova política industrial.

Segundo Maílson, as turbulências atuais são desdobramentos da crise de três anos atrás.
“Os riscos da crise atual estão mais associados à recessão na Europa do que ao colapso do sistema financeiro que levou à restrição do crédito”, disse o ex-ministro. Ele também disse estar seguro que o Brasil está mais bem preparado para lidar com as turbulências externas do que em 2008.

Em relação aos fatores que detonaram a crise de 2008, o ex-ministro lembrou que, diferentemente dos meses que sucederam à quebra do banco Lehman Brothers, hoje não há crise de liquidez no sistema financeiro dos países centrais. “O que está ocorrendo é apenas uma reavaliação de riscos dada a menor recuperação da economia americana, mas não o travamento do crédito”, argumentou.

Ele ressaltou que o sistema financeiro não está tão alavancado como há três anos. “Não se observa hoje a mesma alavancagem que havia antes da crise de 2008. Na época, as instituições financeiras americanas tinham ativos 30 vezes superiores ao capital, enquanto o recomendado é apenas dez”, acrescentou Mailson. O ex-ministro também destacou que as aplicações podres, como os empréstimos subprime, deixaram de existir e que, hoje, há menos instrumentos financeiros que disseminam riscos.

Em relação aos problemas das dívidas públicas de países da Europa, Mailson ressaltou que a intervenção do Banco Central Europeu [que passou a comprar títulos da dívida da Itália e da Espanha] manterá a liquidez no continente. “O Banco Central Europeu está disposto a fornecer liquidez com o compromisso de evitar terremoto e o calote desorganizado de dívidas da Europa”, avaliou.

Sobre o Brasil, ele disse acreditar que a política econômica construída ao longo dos últimos 15 anos manterá o país sólido perante a instabilidade no exterior. Ele destacou que as condições econômicas do Brasil melhoraram em relação a três anos atrás e citou avanços como o fato de o país ter mais a receber do exterior do que a pagar. “O Brasil hoje é credor líquido. Mesmo que haja depreciação, os ativos do governo se fortalecem.”

Mailson defendeu o fortalecimento dos bancos públicos em momentos de crise, mas criticou a intervenção do governo na venda de dólares no mercado futuro, anunciada no fim de julho para conter a queda da moeda norte-americana. “Essa ação no mercado cambial é temerária porque o governo interfere em um mercado que não conhece e a desvalorização do dólar não deriva de quem atua em derivativos, mas da política monetária norte-americana”, alegou. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2020/01/24 » Déficit primário pode ser zerado até 2022, diz secretário
2020/01/24 » Arrecadação federal com impostos chega a R$ 1,537 trilhão em 2019
2020/01/24 » Confiança do empresário é a maior desde junho de 2010, diz CNI
2020/01/22 » CNC: intenção de consumo das famílias tem melhor janeiro desde 2015
2020/01/22 » Confiança da indústria cresce 1,1 ponto na prévia de janeiro
2020/01/22 » Brasil cria centro para indústria 4.0 no Fórum Econômico Mundial
2020/01/21 » Brasil passou para quarto destino de investimentos no mundo em 2019
2020/01/21 » Inflação dos aluguéis acumula taxa de 7,91% em 12 meses, diz FGV
2020/01/21 » Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos
2020/01/20 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,56%
2020/01/20 » Agência Brasil explica: quem pode ser um microempreendedor individual?
2020/01/17 » Varejo de SP espera crescimento de 5% em vendas de materiais escolares
2020/01/17 » Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013
2020/01/17 » Dólar fecha acima de R$ 4,19, no maior valor desde início de dezembro
2020/01/17 » Atividade econômica cresce 0,18%, diz Banco Central
2020/01/16 » Dataprev é incluída no Programa Nacional de Desestatização
2020/01/16 » Ipea: alíquota de novo imposto proposto em PECs deve ficar em 27%
2020/01/16 » Inflação pelo Índice Geral de Preços–10 cai de 1,69% para 1,07%
2020/01/15 » Governo quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020
2020/01/15 » Novo reajuste do mínimo pode ter impacto de R$ 2,13 bi no Orçamento

Ver mais »