Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Depois de registrarem perdas, bolsas europeias amanhecem em alta 11/08/2011

Os mercados europeus amanheceram em alta hoje (11), depois dos últimos dias de perdas provocadas pela crise de endividamento dos Estados Unidos e dos países da zona do euro. Em Londres, o índice FTSE 100 teve um aumento de 2%. A Bolsa de Paris também registrou uma elevação de 2%, um dia depois de ter despencado 5,4%.

A Bolsa de Frankfurt teve um aumento de 2,5%. Os mercados de Madri e Milão também registraram altas, abrindo com aumento de, respectivamente, 2,8% e 2,7%. A notícia positiva surge um dia depois de os mercados da Europa terem registrado baixas generalizadas.

Entre os fatores que podem ter contribuído para a queda das bolsas europeias estão notícias negativas sobre o estado das finanças do banco francês Société Générale. Os mercados também foram afetados pelos boatos de que o governo da França pretendia cortar suas taxas de juros por conta dos problemas que afetaram o Société Générale.

Após a decisão tomada anteontem (9) pelo Federal Reserve (o Banco Central dos Estados Unidos) de manter as taxas de juros baixas até meados de 2013, os mercados da Ásia abriram hoje em alta. Mas as bolsas asiáticas apresentaram números mistos seguindo o clima de incerteza de ontem (10) na Europa e nos Estados Unidos.

Depois de começar o dia com grandes perdas, o índice Nikkei, do Japão, fechou em baixa de 0,79%, enquanto a Bolsa de Hong Kong operava em -1,3% pouco antes do fim do pregão. Na Coreia do Sul, a Bolsa operava em alta de 1%, revertendo perdas que chegaram a 4% mais cedo. O índice ASX da Austrália também conseguiu se recuperar ao longo do dia.

Segundo analistas, investidores na Ásia tiveram de lidar com indicadores econômicos contraditórios e os mercados devem continuar patinando nos próximos dias. "Já tivemos mercados voláteis no passado que acabaram indo em uma certa direção, mas desta vez ninguém parece saber o que vai acontecer", disse Andrew Robinson, da Saxo Capital Markets. (da Agência Brasil, com BBC Brasil)



Últimas

2020/08/14 » Mercado de seguros tem queda de 3,5% no ano devido à pandemia
2020/08/14 » OMS minimiza risco de novo coronavírus entrar na cadeia alimentar
2020/08/14 » Paulo Guedes anuncia novos secretários especiais
2020/08/13 » Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19
2020/08/13 » Instituto alemão diz que vacina pode estar disponível logo
2020/08/13 » Lucro líquido da Eletrobras chega a R$ 4,6 bilhões no trimestre
2020/08/12 » Conselho do FGTS aprova distribuição de R$ 7,5 bi para trabalhadores
2020/08/12 » Guedes diz que não apoia eventual tentativa de furar teto de gastos
2020/08/12 » Produção industrial cresce em 14 locais em junho, diz IBGE
2020/08/11 » Vendas para China preveniram choque nas exportações, diz Guedes
2020/08/11 » Débitos de difícil recuperação com o Simples podem ser parcelados
2020/08/11 » Auxílio emergencial manteve economia ativa em municípios mais pobres
2020/08/10 » Sem título
2020/08/10 » SP ultrapassa 25,1 mil mortes causadas por covid-19
2020/08/10 » Como é feita média móvel de casos de covid-19
2020/08/07 » MP destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19
2020/08/07 » Cursos de qualificação profissional têm alta demanda na pandemia
2020/08/07 » Senai ensina indústrias a produzirem EPI contra novo coronavírus
2020/08/06 » Bolsonaro sanciona lei de negociação de dívidas das micro empresas
2020/08/06 » Baixa inflação permitiu corte nos juros, avaliam entidades

Ver mais »