Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Mantega diz que governo pode reduzir projeção de crescimento econômico 23/08/2011

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse na noite de ontem (22), ao participar de um evento em que foi homenageado como economista do ano, em São Paulo, que o governo ainda não vai rever a projeção de crescimento para este ano, embora ele acredite que na próxima reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) a instituição vá rebaixar a projeção de crescimento da economia mundial, o que poderá provocar a reavaliação de crescimento da economia brasileira.

“Se houver uma queda do nível de atividade da economia internacional, vai acabar reduzindo o nível de crescimento dos emergentes”, disse o ministro, aos jornalistas.

Segundo Mantega, se houver uma queda no nível de atividade internacional, isso acabará afetando a demanda, que vai cair no mundo todo, e consequentemente afetar o preço das commodities, fazendo os países emergentes exportarem menos.

“Não vamos rever a projeção de crescimento para este ano porque ainda não se configurou um quadro dessa natureza. Agora está havendo alguma redução da projeção da economia mundial. A projeção para 2011 era de 4,4% - a média dos países avançados e emergentes. Agora já estou vendo projeções de 4%. Daqui exatamente a um mês vamos ter a reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI), quando o fundo refaz a projeção até o final do ano. E acredito que ele vá reduzir a projeção de 4,4%. Temos que ficar atentos porque, se vier isso, temos que nos preparar para nos opor, contrabalançar essa tendência, e não deixar a produção cair”.

Segundo Mantega, o Brasil tem condições de crescer 4,5% neste ano, já que apresenta vantagens sobre outros países. “Além da questão das reservas e dos bancos sólidos, temos um mercado doméstico forte e dependemos menos de exportações do que outros países. Não quer dizer que não seremos atingidos, mas menos do que países como a China, que tem 40% do seu PIB [Produto Interno Bruto] dependente de exportação. O nosso é 13%”. (da Agência Brasil, Elaine Patricia Cruz)



Últimas

2020/10/23 » Ministério da Infraestrutura entregará planos de logística até 2050
2020/10/23 » OMS: risco de pegar covid-19 em aviões é "muito baixo", mas não zero
2020/10/23 » Cresce pauta sobre home office nas negociações trabalhistas
2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro

Ver mais »