Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Para sindicalistas, aumento do superávit primário deve vir junto com redução da taxa de juros 29/08/2011

Representantes de centrais sindicais saíram insatisfeitos da reunião que tiveram hoje (29) com a presidenta Dilma Rousseff, após ouvirem dela que, entre as medidas de enfrentamento da crise econômica internacional, está um corte de gastos públicos que possibilite aumento do superávit primário. Para os sindicalistas, essa medida só dará resultado se vier acompanhada da redução da taxa de juros.

“Dilma disse que a crise mundial pode se agravar e que, por isso, há necessidade de aumentar o superávit primário [economia para pagar juros da dívida pública]. Isso para nós é uma ducha de água fria que vai levar o Brasil a perder indústrias e ser um exportador de matéria-prima”, disse o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Wagner Gomes, após afirmar ter saído “muito decepcionado” do encontro.

 

O presidente da Força sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) disse que a presidenta antecipou que as medidas a serem anunciadas para enfrentar a crise “serão diferentes das adotadas em 2008”, mas garantiu que manterá os investimentos sociais. “Para nós, esse aumento do superávit é apenas um gesto para o mercado. Só que, a nosso ver, o mercado já tem gestos demais”, destacou. “Aumento de superávit é um tipo de economia que dá dinheiro para banqueiro internacional", completou.

 

“O que sangra o Orçamento brasileiro é a taxa de juros. Não há necessidade de contermos os gastos públicos já que a arrecadação está aumentando”, disse o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Arthur Henrique.

 

Ele disse interpretar as falas da presidenta como “sinalização de austeridade fiscal para o mercado”, inclusive visando a preparar o ambiente para uma redução na taxa básica de juros. “Nos últimos 15 anos, 7,5% do PIB [Produto Interno Bruto] vão para os bolsos de especuladores”, ressaltou o sindicalista. “Ela [Dilma] acenou que, com as medidas a serem tomadas, haverá condições de reduzir a taxa de juros”, disse Arthur Henrique.

 

Paulo Pereira da Silva disse ainda que a presidenta falou que não cabem no Orçamento gastos como os que seriam originados com a aprovação da PEC 300, que trata do piso nacional para policiais, e da Emenda 29, que aumenta gastos com a saúde. No entanto, Dilma reconheceu que algumas categorias serão beneficiadas com reajustes salariais, e citou particularmente a dos professores. (da Agência Brasil, Yara Aquino, Pedro Peduzzi e Daniel Lima)



Últimas

2020/12/04 » Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
2020/12/04 » Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes
2020/12/04 » Pix tem 100 milhões de chaves registradas
2020/12/03 » Concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias entram no PPI
2020/12/03 » PPI tem 115 ativos para leilões e projetos de concessão em 2021
2020/12/03 » Venda de veículos automotores aumenta 0,45% de outubro para novembro
2020/12/03 » Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
2020/12/02 » CNI: produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no 3º trimestre
2020/12/02 » Balança comercial registra superávit de US$ 3,73 bi em novembro
2020/12/02 » CNA prevê aumento da produção do agronegócio no próximo ano
2020/12/02 » População desocupada atinge 13,76 milhões em outubro
2020/12/01 » Ipea: investimentos têm alta de 3,5% em setembro
2020/12/01 » Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit
2020/12/01 » Estimativa do mercado financeiro para a inflação sobe para 3,54%
2020/11/30 » ANP retoma a 17ª Rodada de Licitações
2020/11/30 » Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro
2020/11/30 » Confiança da indústria atinge maior valor em dez anos, diz FGV
2020/11/30 » Fiscalização do Procon-SP registra infração em 70% de lojas visitadas
2020/11/30 » Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre
2020/11/30 » Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Ver mais »