Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Em Nova York, Dilma terá agenda social e de participação das mulheres 16/09/2011

Na visita de quase uma semana a Nova York, que se inicia no domingo, a presidenta Dilma Rousseff vai tratar de medidas para reduzir a desigualdade social e mecanismos de ampliação para a participação das mulheres no cenário político e econômico. Ela vai participar dessas discussões paralelamente às reuniões da Assembleia Geral da Organizações das Nações Unidas (ONU).

O porta-voz da Presidência da República, Rodrigo Baena, disse ontem (15) que Dilma participa também de um debate sobre prevenção e controle de doenças não transmissíveis. De acordo com ele, a presidenta pretende mencionar suas preocupações sobre a busca de mecanismos para o fim da desiguadade social e das dificuldades causadas pela crise econômica mundial.

Dilma se reunirá com a ex-presidenta do Chile Michelle Bachelet, representante da ONU para mulheres. No encontro, ela deve tratar sobre a necessidade de incentivar de forma mais efetiva a participação feminina em todas as instâncias do poder. O porta-voz lembrou que no Brasil as mulheres vêm desempenhando um papel “fundamental” na consolidação das transformações e na democracia.

De acordo com Baena, a presidenta analisa a possibilidade de detalhar a decisão do Brasil de criar a Comissão da Verdade – que se destina a investigar os crimes ocorridos no país no período da ditadura (1964-1985). Segundo o porta-voz, Dilma poderá mencionar ainda a questão sobre acesso a documentos sigilosos, prevista no Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH), e que divide opiniões no Executivo e Legislativo.

Em todas reuniões, a presidenta deve aproveitar para defender as reformas de várias instituições internacionais, como o Conselho de Segurança das Nações Unidas e o Fundo Monetário Internacional (FMI). Não foi definido ainda se Dilma vai se envolver no debate sobre o reconhecimento do Estado da Palestina. No entanto, a posição do Brasil é favorável à definição de um território autônomo para os palestinos.

O porta-voz disse hoje que a hipótese de Dilma mencionar a posição brasileira sobre o Estado Palestino é real. "O Brasil reconheceu, no ano passado, em dezembro, em uma carta do ex-presidente Lula [Luiz Inácio Lula da Silva] Estado da Palestina. Não há previsão de mudança desta posição", ressaltou. (da Agência Brasil, Luciana Lima e Renata Giraldi)



Últimas

2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos
2019/11/11 » Impostos dificultam pequenos e médios negócios, dizem empresários
2019/11/11 » IBGE revisa PIB de 2017 de 1% para 1,3%
2019/11/08 » Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho
2019/11/08 » Petrobras recebe oferta de R$ 3,7 bilhões por Liquigás Distribuidora
2019/11/08 » Governo aumenta projeção de crescimento do PIB para 0,90%
2019/11/07 » Inflação de outubro é a menor para o mês desde 1998
2019/11/07 » Índice que serve de base para reajuste salarial tem variação de 2,76%
2019/11/07 » Seis em cada 10 empresários querem investir, mostra pesquisa do Sebrae
2019/11/07 » Poupança tem menor retirada líquida para outubro em cinco anos
2019/11/05 » Índice de Preços ao Produtor fica em 0,45% em setembro
2019/11/05 » Copom espera crescimento da economia brasileira no terceiro trimestre
2019/11/05 » Bolsa volta a bater recorde e aproxima-se dos 109 mil pontos

Ver mais »