Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Governo brasileiro faz avaliação positiva de medidas para desaquecer economia 21/09/2011

O governo considera que as medidas para desaquecer a economia foram eficazes. De acordo com números divulgados nos Estados Unidos pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, após uma expansão da economia de 1,2% no primeiro trimestre, no segundo trimestre houve um crescimento de apenas 0,8% na comparação os três meses anteriores e de 3,1% em relação ao mesmo período de 2010. Pelos cálculos dos técnicos do ministério, em quatro trimestres o crescimento chega a 4,7%, acima da média mundial.

Diferentemente dos relatórios anteriores, os números não foram divulgados no Brasil, e sim nos Estados Unidos, onde Mantega participa, esta semana, do Encontro Anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, em Washington. O Ministério da Fazenda disponibilizou em seu site uma versão em inglês. A tradução para o português, informou a assessoria do ministro, deverá ser publicada até o final da semana.

No relatório, os técnicos do Ministério da Fazenda também destacaram que os investimentos deverão ter um papel fundamental para manter as taxas de crescimento sustentável nos próximos anos. Nessa perspectiva, em 2011, por exemplo, a formação bruta de capital fixo deverá chegar a 19,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

Foram destacados, como forma de atingir esses objetivos, vários programas lançados pelo governo, como segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), com investimentos previstos de cerca de R$ 1 trilhão no período 2011-2014, e o Plano Brasil Maior, conhecido também como a nova política industrial, que pretende incentivar a inovação no setor. Outro programa em destaque no relatório é o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

O relatório destaca ainda o ajuste feito na meta de superávit primário do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central), com a elevação em R$ 10 bilhões, obrigando o setor público a economizar, em 2011, R$ 127,9 bilhões ante os R$ 117,9 bilhões previstos anteriormente. (da Agência Brasil, Daniel Lima)



Últimas

2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%
2021/01/13 » Inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, diz IBGE
2021/01/12 » Ministério pede avanço de reformas para manter fábricas no país
2021/01/12 » Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020
2021/01/12 » Plataforma promove compartilhamento de materiais na economia
2021/01/11 » Como entrar em 2021 com as contas no azul
2021/01/11 » Digitalização de serviços públicos gera economia de R$ 2 bi por ano
2021/01/11 » Banco do Brasil renegocia R$ 40 milhões em dívidas por WhatsApp
2021/01/11 » Vendas de veículos caem 26,2% em 2020, diz Anfavea
2021/01/11 » Enem terá regras para evitar contágio pelo novo coronavírus
2021/01/08 » ANP: 17ª Rodada de Licitações oferece 92 blocos em bacias marítimas

Ver mais »