Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Tombini ainda confia no cumprimento da meta de inflação 27/09/2011

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, voltou a dizer hoje (27) que a inflação este ano não deve ultrapassar o teto da meta de 6,5%. “Será possível passar por baixo do teto da meta. A inflação estará ao redor desse nível no final do ano”, assegurou Tombini, após participar de audiência pública, no Senado. Tombini acrescentou que a inflação oficial acumulada nos últimos 12 meses, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), está em quase 7,3% e deve cair quase 1 ponto percentual até o fim do ano.

De acordo com o o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA ficou em 7,23% no período de 12 meses encerrado em agosto, o maior índice desde junho de 2005 (7,27% no resultado anualizado).

De acordo com o último boletim Focus, do Banco Central, analistas do mercado financeiro consultados pela autoridade monetária esperam que a inflação ultrapasse o teto da meta deste ano, fixado em 6,5%. A projeção, por enquanto, é que a inflação feche 2011 em 6,52% e caia, em 2012, para 5,52%. Mas, para o presidente do BC, a inflação vai convergir para o centro da meta (4,5%) no ano que vem.

Na audiência pública da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, Tombini destacou que, com a crise econômica mundial, a expectativa é de moderação no crescimento da economia brasileira este ano, sem comprometer muito o crescimento. “Temos capacidade de continuar crescendo, trazendo a inflação para o centro da meta”, enfatizou.

De acordo com Tombini, além da moderação do crescimento da economia, a estabilidade da economia brasileira e uma esperada queda de preços das commodities (produtos primários, com cotação internacional) devem contribuir para a queda da inflação.

Segundo Tombini, a economia ainda vai sentir os efeitos do aumento da taxa Selic em 1,75 ponto percentual até julho. Isso ocorrerá apesar da reversão desse movimento, com início em agosto, quando o Banco Central voltou a reduzir a taxa básica de juros. Atualmente, a Selic está em 12% ao ano. (da Agência Brasil, Kelly Oliveira)



Últimas

2020/02/27 » Contas públicas tem superávit recorde de R$ 44,12 bi em janeiro
2020/02/27 » Veja as dicas da OMS para se proteger do novo coronavírus
2020/02/27 » Com 11 casos, SP lidera registro de suspeitos de coronavírus no país
2020/02/21 » Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Carnaval nesta sexta-feira
2020/02/21 » Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
2020/02/20 » Banco Central injeta R$ 135 bilhões na economia
2020/02/20 » Programa para fazer Declaração do Imposto de Renda já está disponível
2020/02/20 » Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro
2020/02/19 » Comissão Europeia quer criar mercado único de dados
2020/02/19 » Confiança da indústria cai em fevereiro depois de 3 altas seguidas
2020/02/19 » Confiança da indústria cresce 0,7 ponto na prévia de fevereiro
2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE

Ver mais »