Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
População continua confiante na economia brasileira, mas espera aumento da inflação 29/09/2011

A população continua confiante na economia nacional, apesar da crise econômica mundial. Segundo o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) de setembro, divulgado hoje (29) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a confiança do brasileiro cresceu 0,4% na comparação com agosto. O índice está 1,5% acima da média histórica para o mês. No entanto, se comparado a setembro de 2010, apresenta uma queda de 5%.

Os índices de expectativas em relação à inflação, renda pessoal e compras de bens de maior valor registraram melhora em setembro sobre agosto. Já as perspectivas sobre situação financeira e desemprego pioraram. As expectativas relativas ao endividamento se mantiveram estáveis no período.

O único indicador que continua abaixo da média histórica é o que mede as expectativas sobre a inflação. Mesmo assim, esse índice apresentou crescimento de 1,5% na comparação com agosto. De acordo com a CNI, isso sinaliza que os consumidores continuam pessimistas sobre a trajetória dos preços. Na comparação com setembro de 2010, informa o estudo, o indicador registrou queda de 17,2%. Para 68% dos entrevistados, a inflação “vai aumentar” ou “vai aumentar muito”.

Já o indicador de compras de bens de maior valor cresceu 2,1% na comparação com agosto. Para o economista da CNI Marcelo Azevedo, essa elevação está relacionada à expectativa de aumento das compras para o fim de ano. “Esse indicador está 6% acima da média histórica para meses de setembro. Isso pode ser explicado pela maior facilidade de acesso ao crédito hoje que no passado.”

O índice que mede a renda pessoal cresceu 0,8% em setembro. Isso significa que os salários aumentaram.

A situação financeira não é tão otimista. Isso porque o índice que avalia a situação financeira apresentou uma queda de 1,3%, de agosto para setembro, enquanto o que mede a expectativa de desemprego recuou 1,5%. O relativo ao endividamento apresentou estabilidade, ficando em 0%.

A pesquisa foi feita Ibope com 2.002 pessoas em todo país, entre 16 e 20 de setembro. (da Agência Brasil, Pedro Peduzzi)



Últimas

2020/02/21 » Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Carnaval nesta sexta-feira
2020/02/21 » Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
2020/02/20 » Banco Central injeta R$ 135 bilhões na economia
2020/02/20 » Programa para fazer Declaração do Imposto de Renda já está disponível
2020/02/20 » Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro
2020/02/19 » Comissão Europeia quer criar mercado único de dados
2020/02/19 » Confiança da indústria cai em fevereiro depois de 3 altas seguidas
2020/02/19 » Confiança da indústria cresce 0,7 ponto na prévia de fevereiro
2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE
2020/02/13 » Abate de bovinos cai e o de suínos e frangos sobe no último trimestre
2020/02/13 » Setor de Serviços fecha 2019 com crescimento de 1%
2020/02/13 » Coronavírus: subida exponencial de mortes e casos. O que mudou?

Ver mais »