Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Conselho Monetário Nacional amplia atuação de agências de fomento 28/10/2011

Brasília – As agências de fomento, que funcionam como bancos de desenvolvimento operados pelos governos estaduais, poderão comprar participações de empresas por meio de fundos de investimento. A autorização foi concedida ontem (27) pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que ampliou a atuação dessas entidades.

Até agora, as agências de fomento podiam apenas participar de empresas por meio de compra de ações. O CMN também permitiu que as agências comprem participações em sociedades limitadas. Anteriormente, essas instituições podiam apenas fazer esse tipo de operação com sociedades anônimas.

De acordo com o chefe do Departamento de Normas do Banco Central, Sérgio Odilon dos Anjos, a medida tem como objetivo estimular a atuação das micro e pequenas empresas. “As agências de fomento fornecem recursos principalmente para as empresas menores, que estão iniciando as atividades. A maioria dessas companhias é de sociedade limitada”, explicou.

Apesar de ampliar a atuação das agências de fomento, o CMN estabeleceu que esse tipo de instituição financeira poderá comprar até 25% do capital de uma empresa. O Conselho Monetário já proibia o controle de empresas pelas agências de fomento, o que, na prática, significaria que os governos estaduais controlariam as empresas beneficiadas. Mas antes o COMN não tinha especificado um percentual máximo de participação.

No caso da compra de empresas por fundos de investimento, a participação das agências de fomento nesses fundos também passará a ser limitada em 25%. Nesse caso, o fundo, no caso mais extremo, controlaria a empresa, mas as agências estaduais não exerceriam o controle porque detêm participação minoritária nesses fundos.

Presentes em 16 estados, as agências de fomento ajudam empresas, fornecendo empréstimos ou comprando parte da participação das companhias e investindo nelas. Atualmente, as agências respondem por apenas 0,16% do volume de crédito total no Brasil. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2020/10/30 » Ministra da Agricultura diz que nova safra pode reduzir preço do arroz
2020/10/30 » CNI diz que setores mais otimistas são os de borracha e metalurgia
2020/10/30 » Criação de empregos em setembro atinge melhor nível em dez anos
2020/10/29 » Emprego na construção é o maior para setembro nos últimos oito anos
2020/10/29 » Representantes do setor da indústria aprovam decisão do Copom
2020/10/29 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2020/10/29 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2020/10/28 » Apoio emergencial do BNDES a empresas na pandemia alcança R$ 105 bi
2020/10/28 » Programa para ampliar produtividade das empresas é retomado
2020/10/28 » Confiança da construção cresce 3,7 pontos em outubro, diz FGV
2020/10/27 » Guedes diz que acordos políticos dificultam privatizações
2020/10/27 » CMN aprova regulação simplificada para projetos inovadores
2020/10/27 » Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 2,99%
2020/10/26 » Contas externas têm em setembro sexto mês seguido de saldo positivo
2020/10/26 » Petrobras inicia venda de campos terrestres em Sergipe
2020/10/26 » Banco Central registra recorde de remessas de dólares para o Brasil
2020/10/23 » Ministério da Infraestrutura entregará planos de logística até 2050
2020/10/23 » OMS: risco de pegar covid-19 em aviões é "muito baixo", mas não zero
2020/10/23 » Cresce pauta sobre home office nas negociações trabalhistas
2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos

Ver mais »