Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Conselho Monetário Nacional amplia atuação de agências de fomento 28/10/2011

Brasília – As agências de fomento, que funcionam como bancos de desenvolvimento operados pelos governos estaduais, poderão comprar participações de empresas por meio de fundos de investimento. A autorização foi concedida ontem (27) pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que ampliou a atuação dessas entidades.

Até agora, as agências de fomento podiam apenas participar de empresas por meio de compra de ações. O CMN também permitiu que as agências comprem participações em sociedades limitadas. Anteriormente, essas instituições podiam apenas fazer esse tipo de operação com sociedades anônimas.

De acordo com o chefe do Departamento de Normas do Banco Central, Sérgio Odilon dos Anjos, a medida tem como objetivo estimular a atuação das micro e pequenas empresas. “As agências de fomento fornecem recursos principalmente para as empresas menores, que estão iniciando as atividades. A maioria dessas companhias é de sociedade limitada”, explicou.

Apesar de ampliar a atuação das agências de fomento, o CMN estabeleceu que esse tipo de instituição financeira poderá comprar até 25% do capital de uma empresa. O Conselho Monetário já proibia o controle de empresas pelas agências de fomento, o que, na prática, significaria que os governos estaduais controlariam as empresas beneficiadas. Mas antes o COMN não tinha especificado um percentual máximo de participação.

No caso da compra de empresas por fundos de investimento, a participação das agências de fomento nesses fundos também passará a ser limitada em 25%. Nesse caso, o fundo, no caso mais extremo, controlaria a empresa, mas as agências estaduais não exerceriam o controle porque detêm participação minoritária nesses fundos.

Presentes em 16 estados, as agências de fomento ajudam empresas, fornecendo empréstimos ou comprando parte da participação das companhias e investindo nelas. Atualmente, as agências respondem por apenas 0,16% do volume de crédito total no Brasil. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2021/01/26 » Micro e pequenas empresas têm até sexta-feira para aderir ao Simples
2021/01/26 » Queda na arrecadação foi “resultado excelente”, diz Guedes
2021/01/26 » Confaz divulga nova tabela de preços médios de combustíveis
2021/01/25 » Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
2021/01/25 » Cepal: exportações da América Latina e do Caribe caíram 13% em 2020
2021/01/25 » Brasileiros acreditam que inflação será de 5,2% nos próximos 12 meses
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/22 » Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
2021/01/22 » Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
2021/01/22 » Pesquisa da Conab indica queda na produção nacional de café em 2021
2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central

Ver mais »