Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Consumo de energia elétrica cresce 4% no trimestre influenciado pela demanda residencial e comercial 28/10/2011

Rio de Janeiro – A maior demanda residencial e comercial foi decisiva para que, no terceiro trimestre, o consumo de eletricidade do país tenha aumentado 4,2% na comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando 108 mil gigawatts-hora (GWh). Os dados fazem parte do Boletim Mensal do Mercado de Energia Elétrica, divulgado hoje (28) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Segundo o boletim, o consumo de energia elétrica dos setores comercial e residencial, no trimestre, aumentou 8,1% e 6,4%, respectivamente. Em setembro, o consumo nacional de eletricidade foi 4,4% maior do que o de setembro do ano passado, totalizando 36.699 GWh.

O crescimento do consumo de energia elétrica residencial mais que dobrou no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre, período em que houve muita chuva e temperaturas baixas em várias capitais brasileiras. Segundo a EPE, o consumo residencial do trimestre tem relação direta com a conjuntura econômica. “Colaboraram para isso, além do crédito difundido à população, as boas condições do mercado de trabalho, como o rendimento médio real, que cresce desde 2004 [IBGE], e a taxa de desocupação, que declina a cada ano”.

Já em relação ao aumento do consumo comercial, a EPE avalia que o setor de bens e serviços contribuiu para o desempenho. “Certamente contribui para isso a permanência da taxa de desemprego em nível baixo [até agosto variou entre 6% e 6,5%] e a disponibilidade de crédito ao consumidor”.

No terceiro trimestre de 2011, o consumo de energia elétrica industrial manteve o desempenho verificado no segundo trimestre do ano, com alta de 2% em relação ao mesmo período de 2010. De acordo com a EPE, o resultado foi influenciado pelo desempenho da atividade industrial nas regiões Norte e Centro-Oeste. (da Agência Brasil, Cristiane Ribeiro)



Últimas

2020/01/24 » Déficit primário pode ser zerado até 2022, diz secretário
2020/01/24 » Arrecadação federal com impostos chega a R$ 1,537 trilhão em 2019
2020/01/24 » Confiança do empresário é a maior desde junho de 2010, diz CNI
2020/01/22 » CNC: intenção de consumo das famílias tem melhor janeiro desde 2015
2020/01/22 » Confiança da indústria cresce 1,1 ponto na prévia de janeiro
2020/01/22 » Brasil cria centro para indústria 4.0 no Fórum Econômico Mundial
2020/01/21 » Brasil passou para quarto destino de investimentos no mundo em 2019
2020/01/21 » Inflação dos aluguéis acumula taxa de 7,91% em 12 meses, diz FGV
2020/01/21 » Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos
2020/01/20 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,56%
2020/01/20 » Agência Brasil explica: quem pode ser um microempreendedor individual?
2020/01/17 » Varejo de SP espera crescimento de 5% em vendas de materiais escolares
2020/01/17 » Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013
2020/01/17 » Dólar fecha acima de R$ 4,19, no maior valor desde início de dezembro
2020/01/17 » Atividade econômica cresce 0,18%, diz Banco Central
2020/01/16 » Dataprev é incluída no Programa Nacional de Desestatização
2020/01/16 » Ipea: alíquota de novo imposto proposto em PECs deve ficar em 27%
2020/01/16 » Inflação pelo Índice Geral de Preços–10 cai de 1,69% para 1,07%
2020/01/15 » Governo quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020
2020/01/15 » Novo reajuste do mínimo pode ter impacto de R$ 2,13 bi no Orçamento

Ver mais »