Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Diferença de preços de medicamentos atinge quase 1.000% em São Paulo, alerta Procon 31/10/2011

São Paulo - O consumidor precisa ficar atento na hora de comprar remédios, e, antes de ir a uma farmácia, deve fazer uma pesquisa de preços, alerta a Fundação Procon de São Paulo. O órgão detectou diferenças de preços que chegam a 951,69%, em cinco regiões da cidade de São Paulo.

A pesquisa foi feita no período de 28 a 30 de setembro e engloba 52 medicamentos vendidos em 15 estabelecimentos. O diclofenaco sódico (caixa com 20 comprimidos de 50 miligramas), por exemplo, era vendido por R$ 9,36 em uma drogaria. Em outro ponto de venda, custava R$ 0,89, uma diferença de R$ 8,47.

No caso do Propranolol Ayerst (cloridrato de propranolol), a maior diferença de preço encontrada é 520,83%. O valor máximo da caixa com 30 comprimidos de 40 miligramas atingiu R$ 7,45, e o mínimo, R$ 1,20, uma diferença de R$ 6,25.

A pesquisa constatou que os genéricos estavam 58,47% mais baratos do que os medicamentos de referência. Os técnicos alertam, no entanto, que mesmo entre os genéricos pode haver diferenças de preços. Por isso, recomendam que o consumidor consulte a lista de preços máximos dos medicamentos, disponível no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As drogarias e farmácias também são obrigadas a deixar ao alcance dos clientes uma lista de preços, como determina a Resolução nº 4 da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed), do dia 9 de março de 2011.

A Fundação Procon também orienta o consumidor a evitar comprar medicamentos sem bula e sem embalagem (caixa) e a verificar o prazo de validade antes de adquirir um remédio. Também é importante conferir se o número do lote, o prazo de validade e a data de fabricação constantes na caixa do medicamento são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos.

O Procon lembra que o medicamento deve ser guardado em local seco, arejado e fora do alcance de crianças. Os pais e responsáveis devem ter cuidado especial com remédios de formato ou aroma atrativo às crianças. (da Agência Brasil, Marli Moreira)



Últimas

2021/05/13 » Sete em cada dez empreendedores fizeram vendas online na pandemia
2021/05/13 » Produção de grãos cresce 5,7% e chega a 271,7 milhões de toneladas
2021/05/13 » Confiança da indústria aumenta 4,8 pontos em maio
2021/05/13 » IBGE prevê safra recorde de 264,5 milhões de toneladas para 2021
2021/05/13 » Caixa registra alta de 50,3% em lucro líquido no 1º trimestre de 2021
2021/05/13 » Abate de bovinos cai 10,3% no primeiro trimestre do ano
2021/05/13 » Setor de serviços recua 4% de fevereiro para março
2021/05/12 » Senado aprova caráter permanente do Pronampe
2021/05/12 » Vendas de motos têm alta e mostram recuperação do setor em abril
2021/05/12 » Faturamento de atacadistas e distribuidores cresce 5,2% em 2020
2021/05/12 » FGTS poderá ser usado para abater prestações de imóveis do SFI
2021/05/12 » Pagamentos com cartões crescem 17% no primeiro trimestre, diz Abecs
2021/05/12 » Inflação da construção civil registra taxa de 1,87% em abril, diz IBGE
2021/05/12 » Inflação para famílias com renda mais baixa cai para 0,38%
2021/05/12 » Alta da Selic vai levar inflação a ficar abaixo da meta, diz Copom
2021/05/12 » Em março, indústria recua em nove dos 15 locais pesquisados, diz IBGE
2021/05/12 » Produtividade na indústria cai 2,5% no primeiro trimestre, diz CNI
2021/05/12 » Inflação oficial fica em 0,31% em abril, diz IBGE
2021/05/11 » Banco Central abre consultas para saques e trocos via Pix
2021/05/11 » Faturamento da indústria volta a crescer em março, segundo CNI

Ver mais »