Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Volume de empréstimos do BNDES cai, mas deve cumprir meta de liberar R$ 145 bi este ano 31/10/2011

Rio de Janeiro- Apesar da queda de 28% do desembolso do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) entre janeiro e setembro deste ano em comparação com igual período de 2010, a estimativa do presidente do órgão Luciano Coutinho é cumprir a meta de liberar, até o final de 2011, entre R$ 140 bilhões e R$ 145 bilhões para as empresas.

Segundo comunicado divulgado hoje (31) pelo banco, nos primeiros nove meses do ano foram desembolsados R$ 91,8 bilhões ante R$ 128 bilhões no mesmo período de 2010. A queda de 28% leva em conta a operação de capitalização da Petrobras, em setembro do ano passado, quando foram liberados R$ 24,7 bilhões. Sem essa operação atípica, a queda ficaria em 11%.

Mesmo com o cenário de “incertezas” em função da crise na Europa, Luciano Coutinho disse que os desembolsos devem subir entre outubro e dezembro. “Teremos um desembolso entre R$ 140 [bilhões] e R$ 145 [bilhões]. Talvez, um pouco abaixo da expectativa de R$ 145 bilhões, mas não significativamente abaixo porque, em geral, há concentração nos últimos meses”, disse.

Sem nenhuma “indicação acentuada de crise” nas economias emergentes, Coutinho acredita na manutenção e até na ampliação do nível de desembolso em 2012. Para o presidente do BNDES, é consenso de que a economia brasileira continuará crescendo, com espaço para investimentos no setor de infraestrutura, em especial no de petróleo e gás.

“Estamos em um momento peculiar de exacerbações das incertezas, olhando um período muito negativo do mercado internacional. Não posso pegar um trimestre em que o cenário internacional esteve muito carregado e tomar isso como uma tendência daqui para frente. Vamos aguardar o que acontece, mesmo vivendo um desafogo de expectativas em relação à Europa”, declarou.

Refletindo investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o comunicado do BNDES mostra que o setor de infraestrutura recebeu a maior parte dos desembolsos, R$ 38 bilhões, 4% a mais que no ano passado. Para a indústria, o BNDES liberou R$ 28,4 bilhões e o setor comércio e serviços ficou com R$ 17,9 bilhões. A agropecuária recebeu R$ 7,2 bilhões.

Apesar do recuo no montante total de desembolsos, estão em alta as liberações para micro, pequenas e médias empresas. Nos últimos nove meses, o aumento foi 8%, em comparação com o mesmo período de 2010, e somou R$ 36,2 bilhões. (da Agência Brasil, Isabela Vieira)



Últimas

2020/01/22 » CNC: intenção de consumo das famílias tem melhor janeiro desde 2015
2020/01/22 » Confiança da indústria cresce 1,1 ponto na prévia de janeiro
2020/01/22 » Brasil cria centro para indústria 4.0 no Fórum Econômico Mundial
2020/01/21 » Brasil passou para quarto destino de investimentos no mundo em 2019
2020/01/21 » Inflação dos aluguéis acumula taxa de 7,91% em 12 meses, diz FGV
2020/01/21 » Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos
2020/01/20 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,56%
2020/01/20 » Agência Brasil explica: quem pode ser um microempreendedor individual?
2020/01/17 » Varejo de SP espera crescimento de 5% em vendas de materiais escolares
2020/01/17 » Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013
2020/01/17 » Dólar fecha acima de R$ 4,19, no maior valor desde início de dezembro
2020/01/17 » Atividade econômica cresce 0,18%, diz Banco Central
2020/01/16 » Dataprev é incluída no Programa Nacional de Desestatização
2020/01/16 » Ipea: alíquota de novo imposto proposto em PECs deve ficar em 27%
2020/01/16 » Inflação pelo Índice Geral de Preços–10 cai de 1,69% para 1,07%
2020/01/15 » Governo quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020
2020/01/15 » Novo reajuste do mínimo pode ter impacto de R$ 2,13 bi no Orçamento
2020/01/15 » Mochilas pesadas na infância podem acarretar problemas na fase adulta
2020/01/14 » Consumidor espera saldões para comprar com desconto produto mais caro
2020/01/14 » IR: contribuinte não poderá deduzir gasto com previdência de doméstica

Ver mais »