Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Queda da indústria automotiva puxa recuo da produção industrial 01/11/2011

Rio de Janeiro – Com a desaceleração da economia no país, o setor industrial dá sinais de acomodação, que se refletem na queda de 2% da produção industrial brasileira de agosto para setembro, como indica o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Divulgada hoje (1º), a Pesquisa Industrial Mensal aponta a queda de 11% na produção de veículos automotores como a principal responsável pelo recuo do setor. É a maior queda desde dezembro de 2008 (38,8%), quando o país sentiu os primeiros efeitos da crise financeira no mercado doméstico.

Segundo o gerente da pesquisa, André Macedo, por causa dos estoque elevados, as montadoras concederam férias coletivas aos funcionários, o que impactou também na produção de caminhões — no ramo de bens de capital, que constituem ativos (investimentos) das empresas.

Macedo acrescentou ainda que o aumento de estoques também foi percebido em outras áreas, contribuindo para o recuo acentuado do setor no mês. Reflete uma demanda menor do mercado interno e a substituição de produtos nacionais por importados, desde calçados a eletrônicos.

"Essa formação de estoques indesejados também explica muito o comportamento moderado que o setor industrial vinha mostrando nos últimos meses e acentua o ritmo de queda em setembro", reforçou o gerente da Pesquisa Industrial Mensal.

Na pesquisa, o IBGE indica que a produção da indústria está em diminuição desde outubro de 2010. Depois de uma alta de 1,3% nos primeiros três meses do ano, caiu 0,6% no segundo trimestre de 2011 e mais 0,8% entre julho e setembro, no terceiro trimestre.

Em setembro, 16 dos 27 ramos pesquisados diminuíram a produção. Além dos veículos, o IBGE destaca a queda de 13,6% na produção de materiais eletrônicos, aparelhos e equipamentos de comunicação, de 4,1% em máquinas e equipamentos e de 6% em máquinas, aparelhos e materiais elétricos. (da Agência Brasil, Isabela Vieira)



Últimas

2020/01/22 » CNC: intenção de consumo das famílias tem melhor janeiro desde 2015
2020/01/22 » Confiança da indústria cresce 1,1 ponto na prévia de janeiro
2020/01/22 » Brasil cria centro para indústria 4.0 no Fórum Econômico Mundial
2020/01/21 » Brasil passou para quarto destino de investimentos no mundo em 2019
2020/01/21 » Inflação dos aluguéis acumula taxa de 7,91% em 12 meses, diz FGV
2020/01/21 » Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos
2020/01/20 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,56%
2020/01/20 » Agência Brasil explica: quem pode ser um microempreendedor individual?
2020/01/17 » Varejo de SP espera crescimento de 5% em vendas de materiais escolares
2020/01/17 » Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013
2020/01/17 » Dólar fecha acima de R$ 4,19, no maior valor desde início de dezembro
2020/01/17 » Atividade econômica cresce 0,18%, diz Banco Central
2020/01/16 » Dataprev é incluída no Programa Nacional de Desestatização
2020/01/16 » Ipea: alíquota de novo imposto proposto em PECs deve ficar em 27%
2020/01/16 » Inflação pelo Índice Geral de Preços–10 cai de 1,69% para 1,07%
2020/01/15 » Governo quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020
2020/01/15 » Novo reajuste do mínimo pode ter impacto de R$ 2,13 bi no Orçamento
2020/01/15 » Mochilas pesadas na infância podem acarretar problemas na fase adulta
2020/01/14 » Consumidor espera saldões para comprar com desconto produto mais caro
2020/01/14 » IR: contribuinte não poderá deduzir gasto com previdência de doméstica

Ver mais »