Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Bancos rebaixam previsão de crescimento da economia para este ano 03/11/2011

São Paulo – Os bancos rebaixaram a previsão de crescimento da economia para este ano e, também, para 2012, segundo levantamento divulgado hoje (3) pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A estimativa é que o Produto Interno Bruto (PIB) de 2011 cresça 3,2%, ante 3,5% na pesquisa de setembro e 3,9% na de agosto. Para 2012, a expectativa é de crescimento de 3,6% do PIB (ante 3,8% em setembro).

Segundo o economista-chefe da Febraban, Rubens Sardenberg, a perspectiva de menor expansão do PIB brasileiro está baseada na piora do cenário internacional, em especial na Europa, e nos efeitos das medidas macroprudenciais tomadas pelo governo no início do ano para conter a inflação. “Tudo isso vem prejudicando o crescimento da economia”.

As estimativas de crescimento do mercado de crédito tiveram, no entanto, uma melhora em comparação com o levantamento anterior. A previsão atual é que a expansão do crédito chegue a 17,1% este ano, contra 16% previstos na pesquisa de setembro. O maior aumento, de 18,5%, deverá ocorrer nos empréstimos com recursos direcionados que, na pesquisa anterior, estavam em 17,9%.

As revisões são, de acordo com Sadenberg, “um ajuste em relação a uma perspectiva que era mais pessimista do que o observado na prática”. Ele explicou que há uma queda no ritmo de expansão dos empréstimos, mas menor do que se pensava há pouco tempo. “O crédito recua, mas muito lentamente”.

A elevação da expectativa em ralação à inadimplência também foi, segundo o economista, um ajuste. Nas duas últimas pesquisas, a previsão era que a inadimplência fechasse o ano em 4,7%. Agora, os bancos esperam que o calote fique em 5,3%. O índice, entretanto, não representa nenhum risco para o sistema financeiro, na opinião de Sardenberg.

Em relação à inflação, as previsões variaram pouco. Os bancos esperam que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) feche o ano em 6,5%, contra os 6,4% estimados em setembro. Para o Índice de Preços de Mercado (IGPM), a expectativa se manteve em 5,9%.

A inflação para 2012, medida pelo IPCA, porém, teve uma ligeira alta nas estimativas, para 5,7%, dois pontos percentuais a mais que a previsão de setembro. O mesmo aumento foi apontado na expectativa de variação do IGPM, que deve ficar em 5,4%. Segundo Sardenberg, os números indicam que a inflação só deve convergir para o centro da meta do governo em 2013. (da Agência Brasil, Daniel Mello)



Últimas

2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro
2020/10/15 » Ministério entrega à Presidência projeto de privatização dos Correios
2020/10/15 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado
2020/10/14 » Guedes defende reformas e rigor fiscal pós-pandemia a comitê do FMI

Ver mais »