Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Presidente da CNI reclama da lentidão do governo na adoção de medidas que estimulem a economia 08/12/2011

Brasília - O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, reclamou ontem (7) da lentidão do governo na adoção de medidas para incentivar o desenvolvimento do setor industrial, em meio à crise econômica mundial. "Nós precisamos que as medidas sejam mais ágeis. A gente tem visto que alguns setores começam a enfrentar dificuldades", disse.

Após se reunir com a presidenta Dilma Rousseff, mas, segundo ele, sem conversar sobre o assunto, Andrade declarou que a estagnação do crescimento econômico medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e divulgado esta semana , era previsto pelo setor industrial.

"Hoje eu não conversei sobre esse assunto com a presidenta Dilma, até porque ela tem essas informações. Essa desaceleração nós já estávamos esperando desde o início do ano, considerando uma taxa de juros elevada, considerando uma importação muito acima do limite esperado", disse Robson Andrade, que acompanhou uma audiência concedida pela presidenta a medalhistas brasileiros do Worldskills, olimpíada internacional de trabalho profissional realizada este ano em Londres.

O presidente da CNI também se queixou da demora na implantação das medidas anunciadas, principalmente em relação à Receita Federal. "Existem medidas que dependem de regulamentação da Receita Federal que também tem um certo atraso na implantação", destacou. "O Reitegra é uma das medidas que dependem da Receita Federal. A simplificação do PIS e do Cofins é outra medida que depende do órgão arrecadador. A desoneração de alguns setores também depende da Receita, como é o caso do setor moveleiro, têxtil e da linha branca", completou.

O Reintegra é uma das principais medidas do Plano Brasil Maior, lançado pelo governo em agosto, mas que, para entrar em vigor, necessitava da aprovação do Congresso, o que ocorreu no mês passado. O regime irá vigorar até o dia 31 de dezembro de 2012.

O presidente da CNI disse ainda que as importações de produtos manufaturados devem chegar a US$ 90 bilhões este ano e que, "além disso, a indústria brasileira vem sofrendo com uma taxa de câmbio desfavorável e uma carga tributária elevada”. (da Agência Brasil, Luciana Lima)



Últimas

2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%
2021/01/13 » Inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, diz IBGE
2021/01/12 » Ministério pede avanço de reformas para manter fábricas no país
2021/01/12 » Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020
2021/01/12 » Plataforma promove compartilhamento de materiais na economia
2021/01/11 » Como entrar em 2021 com as contas no azul
2021/01/11 » Digitalização de serviços públicos gera economia de R$ 2 bi por ano
2021/01/11 » Banco do Brasil renegocia R$ 40 milhões em dívidas por WhatsApp
2021/01/11 » Vendas de veículos caem 26,2% em 2020, diz Anfavea
2021/01/11 » Enem terá regras para evitar contágio pelo novo coronavírus
2021/01/08 » ANP: 17ª Rodada de Licitações oferece 92 blocos em bacias marítimas

Ver mais »