Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Balança comercial: ferro e petróleo foram destaque da terceira semana de dezembro 19/12/2011

Brasília – As exportações de ferro, petróleo e café foram os principais fatores que fizeram a balança comercial (diferença entre exportações e importações) registrar saldo positivo na terceira semana de dezembro, segundo balanço do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Foram esses produtos que impulsionaram as vendas de bens primários para o exterior, que subiram 38,7% em relação à segunda semana do mês. Em valores, o aumento foi de US$ 344 milhões para US$ 477 milhões entre uma semana e outra.

Na semana passada, a balança comercial registrou saldo positivo de US$ 542 milhões, depois do déficit de US$ 731 milhões na segunda semana do mês. As exportações chegaram a US$ 5,077 bilhões, com média por dia útil de US$ 1,015 bilhão. As importações somaram US$ 4,535 bilhões, com média por dia útil de US$ 907 milhões.

As exportações de produtos manufaturados também cresceram, mas em ritmo menor que as dos produtos básicos. De acordo com o ministério, as vendas de produtos industrializados para o exterior passaram de US$ 382,4 milhões para US$ 402 milhões, na comparação entre uma semana e outra, uma alta de 5,1%. Os produtos que mais influenciaram esse resultado foram aviões, energia elétrica, autopeças, etanol, suco de laranja congelado e veículos de carga. As exportações de semimanufaturados, no entanto, caíram 13,9%, de US$ 126,2 milhões para US$ 108,6 milhões, por causa do açúcar bruto e da celulose.

Outro fator que elevou o saldo da balança comercial foi a queda de 1,9% nas importações de uma semana para a outra. Segundo o MDIC, a queda se deve à retração nos gastos com combustíveis e lubrificantes, veículos, autopeças e produtos siderúrgicos.

Apesar do salto nas exportações de produtos básicos de uma semana para outra, as vendas externas das commodities (bens primários com cotação no mercado internacional) caíram no acumulado de dezembro em relação ao mesmo mês do ano passado. Até a terceira semana do mês, as exportações de produtos básicos caíram 4,6%, de US$ 418,9 milhões para US$ 399,4 milhões, em relação às três primeiras semanas de dezembro de 2010. As vendas externas de bens semimanufaturados subiram 2,1%, de US$ 116,4 milhões para US$ 118,8 milhões, e as exportações de manufaturados saltaram 10,4%, de US$ 353,8 milhões para US$ 390,6 milhões. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2019/09/16 » Brasil eleva em 9,5% comércio com EUA, mas diminui com outros países
2019/09/16 » IGP-10 tem inflação de 0,29% em setembro
2019/09/16 » Mercado financeiro espera por redução da Selic para 5,5% ao ano
2019/09/13 » Aprovada, reforma das telecomunicações depende agora de regulamentação
2019/09/13 » Dispositivos digitais abrem novas possibilidades na saúde
2019/09/13 » Você tem direito a sacar o FGTS? Teste seus conhecimentos
2019/09/13 » Agências da Caixa ampliam horário nesta sexta para saques do FGTS
2019/09/12 » Indicador mostra alta de 2,6% no consumo de bens da indústria em julho
2019/09/12 » Abate de bovinos e suínos cresce no segundo trimestre no país
2019/09/12 » Setor de serviços cresce 0,8% de junho para julho no país, diz IBGE
2019/09/11 » Comércio varejista cresce 1% em julho
2019/09/11 » Código do Consumidor completa 29 anos; teste seus conhecimentos
2019/09/11 » Novas tecnologias digitais auxiliam produção no campo
2019/09/10 » Safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento de 5,9% , diz IBGE
2019/09/10 » ANP inicia 1º ciclo da oferta permanente de blocos de petróleo e gás
2019/09/10 » Produção industrial recua em oito dos 15 locais pesquisados em julho
2019/09/10 » Governo aumenta previsão de crescimento da economia para 0,85%
2019/09/09 » Internet das Coisas: saiba como essa tecnologia pode afetar sua vida
2019/09/09 » Governo estuda reestruturação da Embrapa
2019/09/09 » Vendas no varejo em São Paulo têm alta de 5,4% no primeiro semestre

Ver mais »