Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Cadeia criativa fluminense responde pela geração de 24% dos empregos formais do estado, diz Firjan 11/01/2012

Rio de Janeiro - Estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) mostra que a cadeia criativa fluminense, envolvendo as atividades da indústria, comércio e serviços, registrou, em 2010, 974 mil trabalhadores, o que significou 24% do total de empregos com carteira assinada do estado.

“Quase um quarto dos trabalhadores formais do estado”, destacou o presidente em exercício da Firjan, Carlos Mariani, durante a abertura oficial do salão de negócios de moda e design Rio-à-Porter e da feira Fashion Rio, ontem (10), na Casa Firjan da Indústria Criativa. Os dois eventos integram o calendário oficial da moda nacional e vão até o próximo dia 13.

A Organização das Nações Unidas (ONU) define a economia criativa como todos os ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços baseados na criatividade e no conhecimento.

De acordo com o estudo, as áreas de arquitetura, moda e design empregavam em conjunto, em 2010, cerca de 800 mil trabalhadores formais no Rio de Janeiro. Juntos, esses setores detinham 20% da mão de obra total e 84% da cadeia criativa fluminense.

Os dados mostram que o número de carteiras assinadas nessas três áreas da economia criativa subiu 26% no período de 2006 e 2010, e a renda dos trabalhadores aumentou 76%. Já o aumento observado no total de empregados no estado foi 21% e o da massa salarial atingiu 67%. O estado do Rio apresenta, ainda, a maior remuneração média do país paga a profissionais da economia criativa: R$ 3.014. Esse valor supera em 64% o salário das demais categorias de trabalhadores do estado, diz a pesquisa.

Considerando somente as atividades do núcleo criativo do setor de serviços, o estudo revela que essa economia representou 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2010 ou o equivalente a R$ 92,9 bilhões, respondendo pela geração de quase 800 mil empregos formais no país (1,7% do total). No Rio de Janeiro, a participação do núcleo criativo no PIB foi ainda maior, 3,5%. O segmento totalizou 2,2% dos empregos com carteira assinada. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2020/01/17 » Varejo de SP espera crescimento de 5% em vendas de materiais escolares
2020/01/17 » Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013
2020/01/17 » Dólar fecha acima de R$ 4,19, no maior valor desde início de dezembro
2020/01/17 » Atividade econômica cresce 0,18%, diz Banco Central
2020/01/16 » Dataprev é incluída no Programa Nacional de Desestatização
2020/01/16 » Ipea: alíquota de novo imposto proposto em PECs deve ficar em 27%
2020/01/16 » Inflação pelo Índice Geral de Preços–10 cai de 1,69% para 1,07%
2020/01/15 » Governo quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020
2020/01/15 » Novo reajuste do mínimo pode ter impacto de R$ 2,13 bi no Orçamento
2020/01/15 » Mochilas pesadas na infância podem acarretar problemas na fase adulta
2020/01/14 » Consumidor espera saldões para comprar com desconto produto mais caro
2020/01/14 » IR: contribuinte não poderá deduzir gasto com previdência de doméstica
2020/01/14 » Petrobras reduz preço da gasolina e diesel nas refinarias
2020/01/13 » Migração de empregadores para eSocial só terminará em 2023
2020/01/13 » Agronegócio brasileiro exportou US$ 96,8 bilhões em 2019
2020/01/13 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,58%
2020/01/13 » Migração da poupança para outros investimentos exige cuidado
2020/01/13 » Setores de TI e internet dominam ranking sobre mercado de trabalho
2019/12/19 » Retomada do mercado de trabalho é lenta e se apoia na informalidade
2019/12/19 » Com alta dos preços da carne, inflação deve ficar em 0,81% em dezembro

Ver mais »