Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Fazenda e Banco Central criam grupo técnico para monitorar mercado de derivativos 16/02/2012

Brasília – Preocupada com o crescimento equilibrado no mercado de derivativos, a equipe econômica criou um grupo técnico para avaliar a exposição financeira das empresas e das instituições financeiras a esse tipo de aplicação. Portaria publicada ontem (15), no Diário Oficial da União, criou um comitê gestor formado por integrantes pelo Ministério da Fazenda e o Banco Central para monitorar esse mercado.

De acordo com a portaria, além de acompanhar a evolução dos valores aplicados, o grupo tem como objetivo fazer estudos e propor normas que assegurem maior eficiência e segurança nessa modalidade.

O comitê gestor será coordenado pelo Ministério da Fazenda e terá membros das secretarias Executiva, de Política Econômica, do Tesouro Nacional e da Receita Federal. Pelo Banco Central, participarão técnicos das diretorias de Normas e Organização do Sistema Financeiro, de Política Monetária e de Fiscalização. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) também terá representantes no grupo, que poderá criar subgrupos técnicos para desenvolver estudos.

Os derivativos são ativos financeiros derivados de outros ativos. Esse tipo de aplicação está por trás do estouro da bolha imobiliária nos Estados Unidos que originou a crise econômica de 2008. As aplicações no mercado futuro, negociadas na BMF&Bovespa, são consideradas derivativos, mas diversas operações nessa modalidade são negociadas sem nenhuma regulação, fora da bolsa, no chamado mercado de balcão.

Essas aplicações, segundo a Fazenda, também são responsáveis por interferir no câmbio. Em julho do ano passado, o governo editou medida provisória taxando, com alíquota de 1% de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), os depósitos de margem feitos nessas operações. O projeto de lei de conversão dessa MP foi aprovado em outubro, dando poderes ao Conselho Monetário Nacional (CMN) para regular o mercado de derivativos no país. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2021/01/28 » Custo industrial sobe 8,6% no terceiro trimestre de 2020
2021/01/28 » Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC
2021/01/28 » Confiança da indústria recua depois de oito meses em alta, diz FGV
2021/01/28 » Desemprego chega a 14,1% entre setembro e novembro de 2020
2021/01/28 » IGP-M acumula inflação de 25,71% em 12 meses, revela pesquisa da FGV
2021/01/28 » Tereza Cristina: transformação digital deve inserir agronegócio
2021/01/28 » Insuficiência da regra de ouro totaliza R$ 453,7 bilhões
2021/01/28 » Dívida pública pode alcançar até R$ 5,9 trilhões em 2021
2021/01/28 » Vendas de máquinas e equipamentos têm alta de 5,1% em 2020
2021/01/28 » Contas externas têm saldo negativo de US$ 12,5 bi em 2020
2021/01/28 » Governo retira limite para financiar projetos de telecomunicações
2021/01/27 » Pandemia e fim dos auxílios podem reverter retomada econômica
2021/01/27 » Confiança na construção civil recua depois de seis altas, diz FGV
2021/01/27 » Confiança do consumidor cai pelo quarto mês consecutivo
2021/01/27 » Custo da construção sobe 0,93% em janeiro, anuncia a FGV
2021/01/26 » Micro e pequenas empresas têm até sexta-feira para aderir ao Simples
2021/01/26 » Queda na arrecadação foi “resultado excelente”, diz Guedes
2021/01/26 » Confaz divulga nova tabela de preços médios de combustíveis
2021/01/25 » Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
2021/01/25 » Cepal: exportações da América Latina e do Caribe caíram 13% em 2020

Ver mais »