Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Fundos garantidores de investimento em infraestrutura e exportação terão R$ 20 bilhões 03/04/2012

Brasília – A criação de dois fundos para oferecer garantias contra eventuais calotes de empresas beneficiadas com financiamentos públicos não implicará o desmonte dos fundos garantidores já existentes, disse hoje (3) o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa. Ele informou que os dois fundos (um para infraestrutura e outro para exportação) terão orçamento conjunto de R$ 20 bilhões e serão administrados por uma agência a ser criada por medida provisória.

Segundo o secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira, a criação de um órgão público para administrar os fundos garantidores é necessária para dar agilidade à análise das garantias. “Hoje, a análise dos fundos garantidores cabe a seguradoras privadas, escolhidas por licitação. A nova agência dará celeridade e especializará os quadros do governo para analisar as garantias”, explicou.

Os fundos garantidores, na prática, servem como um seguro contra a inadimplência de empresas beneficiadas com financiamentos públicos, operados por bancos oficiais ou privados. O mecanismo permite que as instituições financeiras ofereçam juros menores, já que os riscos de calote são minimizados. Atualmente, além de um fundo garantidor para a exportação, existem fundos semelhantes para garantir financiamentos habitacionais, parcerias público-privadas e empréstimos aos setores naval e elétrico.

Para Nelson Barbosa, a unificação dos fundos garantidores em duas categorias trará mais eficiência à administração dos recursos. “Cada fundo tem seu conselho, estatuto e política. A criação desses fundos garantidores foi estimulada pelo PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], mas, ao longo do tempo, os vários fundos têm gerado dispersão de recursos e ineficiência administrativa”, explicou.

O secretário executivo destacou ainda que os mutuários cujos financiamentos são garantidos pelos fundos atuais não precisam se preocupar. “Gradualmente, vamos migrar os recursos para os novos fundos. Os diversos fundos existentes vão continuar a operar nos moldes atuais”, explicou. De acordo com Barbosa, a migração começará assim que a medida provisória for aprovada pelo Congresso Nacional. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2021/01/25 » Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
2021/01/25 » Cepal: exportações da América Latina e do Caribe caíram 13% em 2020
2021/01/25 » Brasileiros acreditam que inflação será de 5,2% nos próximos 12 meses
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/22 » Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
2021/01/22 » Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
2021/01/22 » Pesquisa da Conab indica queda na produção nacional de café em 2021
2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil

Ver mais »