Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Supermercados paulistas querem reduzir preço de sacolas reutilizáveis 03/04/2012

São Paulo – Os supermercados paulistas querem reduzir o preço das sacolas reutilizáveis que serão distribuídas em suas lojas. A partir de amanhã (4), os estabelecimentos não vão mais distribuir sacolas plásticas para embalar os produtos vendidos. Segundo o presidente da Associação Paulista de Supermercados (Apas), João Galassi, o preço das sacolas é alto. “Na próxima semana estamos fazendo um grande encontro com os fornecedores, para que possamos reduzir ainda mais os preços”, disse hoje (3) Galassi.

O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela Apas com o Procon de São Paulo e o Ministério Público Estadual prevê que as sacolas reutilizáveis custem no máximo R$ 0,59. A Apas, no entanto, disse que tentará reduzir o preço das sacolas e de outros produtos. “Carrinho de feira, sacolas reutilizáveis, tudo que esteja relacionado ao movimento da sustentabilidade, ao movimento da substituição das sacolas por reutilizáveis”, citou o presidente da associação.

O acordo foi assinado no começo de fevereiro. Nesse período houve uma redução de 72% no número de sacolas distribuídas comparado com o mesmo período de 2011, de acordo com Galassi.

O promotor de Justiça, José Eduardo Ismael Lutti, destacou a importância do fim da distribuição das sacolas plásticas como forma de reduzir a produção de lixo e preservar os recursos naturais. “Não queremos mais a produção desnecessária de resíduos sólidos. A sacolinha plástica é um exemplo típico disso. É o símbolo do desperdício de recursos naturais”.

Segundo Lutti, os supermercados que continuarem a distribuir a embalagem poderão ser acionados judicialmente, com base na Lei de Resíduos Sólidos, para que também recolham as sacolas. “A rede de supermercado pode cativar o seu cliente, porém, ela vai ter que arranjar uma forma de ir até a casa do consumidor e recolher a sacolinha de volta”.

Apesar de considerar o fim da distribuição das embalagens “uma oportunidade para que o consumidor pratique alternativas mais sustentáveis”, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) defendeu hoje, em nota, que a medida também promova benefícios concretos para os consumidores. “Os supermercados deveriam promover descontos na compra por cada sacola evitada ou subsidiar as sacolas reutilizáveis, com o recurso que está sendo economizado com o banimento de sacolas plásticas para que as reutilizáveis sejam acessíveis para todos os consumidores”. (da Agência Brasil, Daniel Mello)



Últimas

2020/02/21 » Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Carnaval nesta sexta-feira
2020/02/21 » Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
2020/02/20 » Banco Central injeta R$ 135 bilhões na economia
2020/02/20 » Programa para fazer Declaração do Imposto de Renda já está disponível
2020/02/20 » Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro
2020/02/19 » Comissão Europeia quer criar mercado único de dados
2020/02/19 » Confiança da indústria cai em fevereiro depois de 3 altas seguidas
2020/02/19 » Confiança da indústria cresce 0,7 ponto na prévia de fevereiro
2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE
2020/02/13 » Abate de bovinos cai e o de suínos e frangos sobe no último trimestre
2020/02/13 » Setor de Serviços fecha 2019 com crescimento de 1%
2020/02/13 » Coronavírus: subida exponencial de mortes e casos. O que mudou?

Ver mais »