Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Consumo industrial de energia elétrica mantém ritmo “moderado” no primeiro trimestre 26/04/2012

Rio de Janeiro - O consumo de energia elétrica do setor industrial cresceu 2,1% em março deste ano, quando comparado ao mesmo período do ano passado, atingindo 15.510 gigawatts-hora (GWh). A informação consta da Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica de março divulgada hoje (26) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Na avaliação do EPE, o setor industrial do país mantém um “ritmo moderado” de crescimento ao longo do ano, tendo ficado em 2,3% no fechamento dos primeiros três meses do ano e em 1,8% no acumulado dos últimos 12 meses.

Na região Sudeste, o principal centro consumidor do país, a taxa de crescimento do consumo de energia pelas indústrias, embora continue “relativamente baixa” (+0,8%), é a maior deste ano. Em Minas Gerais e no Espírito Santo a expansão no mês foi de 0,4% e 0,6%, o que significou reversão das taxas negativas observadas em janeiro e fevereiro, indica a EPE.

No Rio de Janeiro, a taxa de –2,3% no mês também representa recuperação em relação ao comportamento nos dois primeiros meses do ano. Já em São Paulo, observou-se a mesma dinâmica do início do ano, tendo sido registrada alta de 1,5% no consumo das indústrias no mês de março (em relação a março de 2011).

Já o crescimento da demanda de energia pelas indústrias do Sul manteve-se estável em março, acompanhando a média nacional, com evolução de 2,3%.

Após crescimentos de 3,6% e 10%, respectivamente, em janeiro e fevereiro, o consumo das indústrias no Nordeste evoluiu apenas 0,1% em março. Muito contribuiu para esse resultado a retração registrada no Maranhão e na Bahia, onde o consumo no mês caiu, respectivamente, 9,2% e 3%, comparativamente a março de 2011.

Em contrapartida, na região Centro-Oeste foi registrada a maior expansão do consumo industrial regional: 15,8%, em março. “Em grande parte, o resultado reflete a incorporação de novas cargas,notadamente ligada à expansão da produção de ferro-níquel”, diz o relatório. (da Agência Brasil, Nielmar de Oliveira)



Últimas

2020/09/25 » Projeto do Senai vai qualificar trabalhadores para a indústria 4.0
2020/09/25 » Primeiro leilão de imóveis públicos do Rio será em outubro
2020/09/25 » CMN amplia limite de renda para microcrédito a empresas
2020/09/24 » Custos industriais caem 1,5% no segundo trimestre
2020/09/24 » Ministro da Economia diz que reforma deve ter tributos alternativos
2020/09/24 » Contas externas têm saldo positivo de US$ 3,7 bilhões
2020/09/23 » Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020
2020/09/23 » CNI: atividade industrial segue em recuperação com alta do emprego
2020/09/23 » Indicadores recentes sugerem recuperação parcial da economia, diz BC
2020/09/22 » Brasil terá cota adicional na exportação de açúcar aos EUA
2020/09/22 » Estudo brasileiro aponta que covid-19 pode causar danos cerebrais
2020/09/22 » Mercado financeiro reduz projeção de queda da economia para 5,05%
2020/09/21 » Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro
2020/09/21 » Covid-19: maioria dos estados segue sem aulas presenciais
2020/09/21 » O que é o Sistema S?
2020/09/18 » Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
2020/09/18 » Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
2020/09/18 » IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
2020/09/18 » CNI apresenta propostas para retomada da economia
2020/09/18 » Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses

Ver mais »