Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Claro, TIM, Oi e Vivo lideram reclamações de telefonia celular do Procon em São Paulo 20/06/2012

São Paulo – Desde de janeiro o Procon de São Paulo recebeu 5.713 reclamações ou pedido de orientação sobre problemas com telefone celular. Os principais problemas são a cobrança por serviços não solicitados, serviços não fornecidos, incluindo queda de sinal e velocidade de internet abaixo da contratada.

A empresa com o maior número de queixas foi a Claro, com 1.984 reclamações, seguida pela TIM (1.385), Oi (996), Vivo (842) e Nextel (506). Segundo o diretor do Procon, Arthur Góes, o principal problema é a incapacidade do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC) de resolver as demandas dos usuários. “Infelizmente este ainda é um gargalo não só no setor de telefonia. As empresas precisam investir mais no atendimento ao consumidor de forma efetiva, dando solução aos problemas de forma fácil e rápida”.

Em resposta ao levantamento, a Claro disse, por meio de nota, que trabalha continuamente para melhorar a qualidade dos seus serviços.

A TIM disse que vem desenvolvendo ações preventivas para reduzir as demandas dos clientes. “Exemplo disso é que, a TIM assinou novo compromisso com a Fundação Procon-SP para participação no Plano de Metas de Redução de Demandas para 2012”.

A Vivo, em comunicado, disse que faz investimentos contínuos para aprimorar a qualidade dos serviços e atendimento prestados aos clientes.

A Nextel argumentou que “vem redobrando esforços e ampliando seus investimentos em treinamentos, processos e contratações dos canais de atendimento ao cliente”.

A Oi disse que não vai comentar o ranking de reclamações.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que monitora as reclamações dos consumidores, o que possibilita exigir das prestadoras atenção às principais demandas da população.

A orientação da agência é que o consumidor que se sentir prejudicado deve entrar em contato primeiramente com a sua prestadora para resolver o problema. Caso não consiga, deve procurar a Anatel com o número de protocolo de atendimento da prestadora, para a tomada de providências.

As reclamações para a Anatel podem ser feitas pelo telefone 1331, pelo site da agência, por carta ou pessoalmente, na sede em Brasília ou em um dos escritórios regionais. Ao receber as queixas, o órgão encaminha a demanda às operadoras, que têm cinco dias úteis para se manifestar. As reclamações dos consumidores também são encaminhadas para a área de fiscalização da Anatel, e servem como base para a atuação do órgão.

No ano passado, a Anatel recebeu 5,48 milhões de reclamações de usuários de telefonia fixa, móvel e de TV por assinatura. (da Agência Brasil, Daniel Mello e Sabrina Craide)



Últimas

2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%
2021/01/13 » Inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, diz IBGE
2021/01/12 » Ministério pede avanço de reformas para manter fábricas no país
2021/01/12 » Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020

Ver mais »