Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Brasil emite menor quantidade de gás carbônico para gerar energia entre os principais países do mundo 20/06/2012

Rio de Janeiro - Estudo sobre a qualidade da matriz elétrica mundial mostra que o Brasil é um dos países que mais contribuem para a sustentabilidade no mundo, no que diz respeito à sua matriz elétrica. O estudo foi divulgado ontem (19) pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) no Humanidade 2012, evento paralelo à Rio+20.

“O Brasil emite cerca de 60 toneladas de gás carbônico para gerar um gigawatt-hora (GWh). O mundo, na média, emite quase dez vezes mais, da ordem de 500 toneladas para gerar um GWh”, disse à Agência Brasil o gerente de Competitividade Industrial e Investimentos do Sistema Firjan, Cristiano Prado.

Segundo ele, o Brasil usa muita hidreletricidade e energia nuclear. “Os países que usam outras formas de energia mais poluentes acabam emitindo mais gás carbônico e, em consequência, poluindo mais para gerar energia elétrica”, explicou o economista da Firjan.

No ranking de qualidade da matriz de energia elétrica dos 71 principais países do mundo, o Brasil aparece na quinta posição, depois da Suíça, Noruega, Suécia e Islândia.

Em comparação aos países que integram o Brics, formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o Brasil está mais bem posicionado, uma vez que emite menos gases de efeito estufa. “Na verdade, ele emite quase 11 vezes menos do que a média dos demais países do Brics”.

Cristiano Prado declarou que esse é um dado muito positivo, porque como o Brics apresenta uma perspectiva de continuidade de crescimento forte nos próximos anos, “o Brasil, com a qualidade de sua matriz elétrica, é o que menos impactará o planeta no que diz respeito à geração de energia para suportar o crescimento”.

A análise é válida também para os dez maiores países do mundo, cuja relação inclui o Brasil. Nessa comparação, o país ocupa a melhor posição em termos de qualidade da matriz. “Ele é o que menos contribui para poluir o planeta no que diz respeito à geração de energia elétrica”. Além disso, Prado ressaltou que do total de emissões de gás carbônico equivalentes durante a geração de energia, o Brasil ocupa também uma posição de vanguarda, de acordo com dados de 2009 da Agência Internacional de Energia.

“O Brasil contribui com 0,3% das emissões de gás carbônico quando gera energia elétrica. Os dez maiores países correspondem a 70,6%”. A contribuição de emissões no mundo dos Estados Unidos, em termos de geração de energia elétrica, alcança 22,4% e da China, 26,3%.

“Portanto, tanto no que diz respeito à qualidade da matriz elétrica, como à quantidade de emissões [de gases de efeito estufa] para gerar energia, o Brasil ocupa uma posição de destaque e contribui para a sustentabilidade do mundo de hoje”, disse. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2021/01/22 » Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
2021/01/22 » Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
2021/01/22 » Pesquisa da Conab indica queda na produção nacional de café em 2021
2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020

Ver mais »