Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Dúvidas sobre mecanismo de cooperação entre países do Brics persistem 20/06/2012

Brasília - A criação de um instrumento de cooperação financeira entre os componentes do Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – indica que os países emergentes apostarão na ajuda mútua para se contraporem ao poder econômico das nações desenvolvidas. A falta de detalhes sobre o funcionamento dessas ferramentas, no entanto, provoca dúvidas em especialistas sobre a capacidade de esses mecanismos serem implementados.

Segunda-feira (18), durante reunião preparatória para o encontro do G20, no México, os membros do Brics concordaram em formar um fundo conjunto com recursos das reservas internacionais dos países. O grupo anunciou ainda a possibilidade de abertura de negociações para que as economias emergentes também façam operações de troca de moedas entre si.

Para o professor de economia Décio Munhoz, da Universidade de Brasília (UnB), iniciativas semelhantes de cooperação financeira, como os acordos de Chiang Mai – que prevê auxílio financeiro entre países asiáticos – e as trocas de moedas entre o Federal Reserve (Banco Central norte-americano) e alguns países durante o auge da crise econômica nos Estados Unidos, são recentes. “Não dá para avaliar os reflexos com profundidade”.

Segundo Munhoz, uma questão central no funcionamento do fundo é se ele será formado por contribuições em dólar e euro ou se os aportes serão feitos nas moedas de cada país do Brics. Caso os países utilizem apenas as próprias moedas, o fundo terá capacidade de ação limitada, financiando apenas trocas comerciais entre os membros do grupo. “É um mecanismo muito restrito porque quando você troca moeda, elas só poderão ser utilizadas dentro daqueles países”.

Munhoz diz ainda que é difícil saber se o fundo conjunto será posto em prática por causa das próprias incertezas entre os membros do grupo. “Até recentemente, a ideia era que os Brics criassem um banco de desenvolvimento, nos moldes do Banco do Sul”.

O economista e ex-diretor do Banco Central, Carlos Eduardo de Freitas, destaca que a utilização das reservas internacionais para compor o fundo conjunto reforçará o poder da China dentro do Brics. Isso porque o país asiático é o maior detentor de reservas externas no mundo. “Quem tem reservas genuínas é a China, que tem superávit nas contas externas”.

Freitas também critica a falta de detalhamento em relação ao mecanismo de cooperação financeira. Ele, no entanto, diz que o Brasil pode se beneficiar caso possa, em último caso, pegar dinheiro emprestado do novo fundo para estimular as exportações e a economia. Para ele, o anúncio desse instrumento representa uma reação à lentidão das reformas para ampliar o poder dos países emergentes no Fundo Monetário Internacional (FMI). “Mesmo com a crise, manteve-se uma resistência para uma mudança na divisão de poder. Então decidimos criar uma coisa meio que nossa”. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2021/01/22 » Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
2021/01/22 » Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
2021/01/22 » Pesquisa da Conab indica queda na produção nacional de café em 2021
2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020

Ver mais »