Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Comércio entre Brasil e China ganha reforço com adoção de mecanismo de transações financeiras em moeda local 22/06/2012

Rio de Janeiro – O Brasil e a China assinarão, na próxima semana, um protocolo financeiro de crédito recíproco em moeda local, denominado swap agreement, no valor de R$ 60 bilhões – o equivalente a US$ 30 bilhões e cerca de 190 bilhões de yuans, a moeda chinesa. Só o comércio entre os dois países movimentou US$ 84,5 bilhões, em 2011, com saldo favorável ao Brasil. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem (21) que os últimos detalhes do acordo estão sendo fechados.

A decisão foi negociada durante reunião bilateral entre a presidenta Dilma Rousseff e o primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, na tarde desta quinta-feira. As conversas ocorreram no intervalo das reuniões de chefes de Estado e Governo da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20.

A China é o principal parceiro comercial do Brasil superando os Estados Unidos. Mantega explicou que a medida é uma garantia de que as relações comerciais entre as duas economias não serão afetadas pela crise econômica internacional. Segundo ele, com o acordo, ambos os governos podem sacar até o limite do valor para investimentos recíprocos.

O ministro disse ainda que, no caso de um agravamento do cenário econômico mundial, que possa afetar a disponibilidade de crédito comercial, a China e o Brasil terão segurança nas transações, pois contarão com a reserva em moeda local. Mantega lembrou que o acordo com os chineses é uma precaução em relação aos impactos causados pelo agravamento da crise.

“Em um outro momento, tivemos congelamento do comércio internacional. Estamos criando uma modalidade para contornar movimentos como esse”, disse o ministro. De acordo com ele, o interesse do governo é reforçar a situação financeira com a China em um cenário, no qual a economia do mundo está “estressada”.

Mantega lembrou que o governo havia sinalizado com o interesse de ampliar essa modalidade de crédito recíproco para todos os países do Brics, bloco formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul. “Primeiro, será a China. Depois que conseguirmos configurar o fundo de reservas, vamos ampliar para os outros”, disse Mantega, destacando que o fundo de reserva do grupo soma US$ 4,5 trilhões.

“Nosso movimento leva em conta que os países desenvolvidos estão em crise e que as economias mais dinâmicas agora são as dos países emergentes [Brics], que têm que compartilhar seu dinamismo”, acrescentou. “Os países do Brics são uma parceria que estão dando certo pelo dinamismo.”

O ministro da Fazenda disse que o Brasil percebe como oportunidade para “abrir portas” o fato de os mercados europeus e norte-americano estarem retraídos em decorrência dos efeitos da crise econômica internacional e ampliando as parcerias com a China.

Lembrando que as exportações brasileiras para a China se concentram em commodities (bens primários com cotação no mercado financeiro), ele disse que o governo brasileiro quer aproveitar a ocasião para estimular as vendas externas também de manufaturados para os chineses. “Temos um cenário diferente no qual a situação europeia se agrava e os mercados estão travados. Isso faz com que seja mais fácil prosperar um acordo com o Brasil. Os [países] avançados vão ficar para trás e os emergentes vão avançando”, ressaltou.

Acompanhe a cobertura multimídia da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) na Rio+20. (da Agência Brasil, Carolina Gonçalves e Renata Giraldi)



Últimas

2020/10/26 » Petrobras inicia venda de campos terrestres em Sergipe
2020/10/23 » Ministério da Infraestrutura entregará planos de logística até 2050
2020/10/23 » OMS: risco de pegar covid-19 em aviões é "muito baixo", mas não zero
2020/10/23 » Cresce pauta sobre home office nas negociações trabalhistas
2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo

Ver mais »