Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Tesouro registra boa demanda por títulos brasileiros apesar do agravamento da crise na Europa 25/06/2012

Brasília – O agravamento da crise na Europa não reduziu demanda por títulos públicos brasileiros, disse hoje (25) o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido. Segundo ele, os investidores ainda estão confiantes no Brasil, apesar das turbulências internacionais. A procura pelos papéis do Tesouro Nacional, disse ele, continua consistente.

“Apesar da crise na Europa, estamos nos aproximando do cenário positivo [da administração da dívida pública]”, disse Garrido, ao explicar o resultado da Dívida Pública Federal em maio. Segundo ele, a redução da taxa Selic, que reduz o custo da dívida pública e a possibilidade de o país dar calote, está contribuindo para a confiança dos investidores na economia brasileira.

Por meio dos títulos públicos, o governo pega dinheiro emprestado dos investidores para honrar compromissos. Em troca, o Tesouro compromete-se a devolver os recursos com alguma correção, que pode seguir a taxa Selic, a inflação, o câmbio ou ser definida com antecedência no caso dos títulos prefixados.

Os juros representam a desconfiança dos aplicadores. No caso dos títulos prefixados com vencimento em 2023, as taxas aceitas pelo Tesouro apresentaram pequena volatilidade em junho, mas voltaram a cair no fim do mês. No leilão do último dia 5, o Tesouro pagou 10,8% ao ano por esses papéis, pouco mais que as taxas registradas no fim de maio. No leilão da última quinta-feira (21), os juros caíram para 10,23% ao ano.

Garrido descartou a possibilidade de que o Plano Anual de Financiamento (PAF), que estabelece metas para a administração da dívida pública, seja revisado, mesmo com a trajetória de queda da taxa Selic – juros básicos da economia. O PAF estabelece que a Dívida Pública Federal termine o ano entre R$ 1,95 trilhão e R$ 2,05 trilhões. Em maio, no entanto, o total da dívida somava R$ 1,922 trilhão, abaixo do limite inferior do intervalo. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2020/12/04 » Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
2020/12/04 » Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes
2020/12/04 » Pix tem 100 milhões de chaves registradas
2020/12/03 » Concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias entram no PPI
2020/12/03 » PPI tem 115 ativos para leilões e projetos de concessão em 2021
2020/12/03 » Venda de veículos automotores aumenta 0,45% de outubro para novembro
2020/12/03 » Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
2020/12/02 » CNI: produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no 3º trimestre
2020/12/02 » Balança comercial registra superávit de US$ 3,73 bi em novembro
2020/12/02 » CNA prevê aumento da produção do agronegócio no próximo ano
2020/12/02 » População desocupada atinge 13,76 milhões em outubro
2020/12/01 » Ipea: investimentos têm alta de 3,5% em setembro
2020/12/01 » Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit
2020/12/01 » Estimativa do mercado financeiro para a inflação sobe para 3,54%
2020/11/30 » ANP retoma a 17ª Rodada de Licitações
2020/11/30 » Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro
2020/11/30 » Confiança da indústria atinge maior valor em dez anos, diz FGV
2020/11/30 » Fiscalização do Procon-SP registra infração em 70% de lojas visitadas
2020/11/30 » Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre
2020/11/30 » Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Ver mais »