Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Campanha alerta sobre danos causados pelas queimadas nas áreas por onde passam linhas de transmissão de energia 22/08/2012

Rio de Janeiro – Preocupada com as queimadas perto das linhas de transmissão, que sempre aumentam nesta época do ano, Furnas Centrais Elétricas, subsidiária da Eletrobras, lançou uma campanha alertando a população sobre os prejuízos que as queimadas representam para o consumidor, por causa dos cortes de energia, e para o meio ambiente, em função da destruição da fauna e da flora da região.

Queimar áreas próximas às linhas de transmissão constitui um crime federal previsto no Decreto 2.661, de agosto de 1988. A lei proíbe atear fogo em uma faixa de 15 metros dos limites de segurança das linhas de transmissão e de 100 metros ao redor das subestações, informou a assessoria de imprensa de Furnas. A fumaça pode provocar curtos-circuitos e o superaquecimento dos cabos, entre outros danos.

 

O gerente da Divisão de Linhas de Transmissão da companhia, Ricardo Perez, disse à Agência Brasil que a campanha objetiva esclarecer a população que “o maior prejudicado com as queimadas é ela mesma. A falta de energia volta contra a própria pessoa que começou a queimada”. Isso sem falar nos prejuízos, segundo ele, causados ao meio ambiente e à economia do país. A queimada é “ruim para todo mundo”, ressaltou.

 

Furnas vem investindo desde 2006 em campanhas de esclarecimento à população na área onde tem empreendimentos (Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Mato Grosso, Goiás e Tocantins), além do Distrito Federal, sobre os malefícios causados pelas queimadas.

 

Este ano, a campanha ganhou uma dimensão maior com a veiculação de peças na televisão, rádio e internet. Estão sendo distribuídos também cartazes em escolas e instituições públicas nas regiões onde a companhia atua. Um total de 456 municípios são cortados pelas linhas de transmissão de Furnas, que é responsável por 40% da energia consumida no Brasil.

 

Ricardo Perez destacou que, este ano, os focos de queimadas no país, até meados deste mês, aumentaram 70% em relação a igual período de 2011. “Nós ainda não sentimos isso no sistema elétrico. Mas o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais [Inpe] têm registrado aumento significativo de queimadas. A gente está com 70% a mais do que no mesmo período do ano passado”, disse.

 

Perez acrescentou que o número de queimadas coloca o Brasil na primeira posição do ranking sul-americano, com 45.608 focos. “Na comparação com a Argentina [que registra 15.220 focos no período], mesmo guardadas as proporções de dimensão, o Brasil tem uma situação, infelizmente, privilegiada nesse ranking”.

 

O gerente de Furnas informou que o estado mais afetado é Mato Grosso, com 7.510 focos de queimadas, seguido do Tocantins (4.854), de Minas Gerais (1.828) e Goiás (1.521). A área onde Furnas atua engloba 20 mil quilômetros de linhas de transmissão de extra alta tensão. As queimadas são consideradas uma das principais causas da interrupção não programada do fornecimento de energia e representa risco de vida para animais e pessoas.

 

A maior incidência de queimadas é no período de seca, que vai de abril a outubro, tendo grande aumento entre os meses de agosto e setembro. Ricardo Perez esclareceu que isso ocorre porque coincide com o período de colheita da cana de açúcar em várias regiões do país. “E a cultura da colheita de cana ainda é a queima antes da colheita, porque diminui a quantidade de mão de obra”. Advertiu que, com essa prática, o produtor perde produtividade, embora veja a queimada como um sistema mais barato do que a mecanização. “A gente lamenta, mas é assim que funciona”, disse Perez. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020

Ver mais »