Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Indústria precisa reduzir estoques para voltar a crescer 27/09/2012

Brasília -A indústria precisa reduzir seus estoques para voltar a crescer, afirmou hoje (27) o gerente de pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Renato da Fonseca. De acordo com ele, a expectativa do setor é que a alta no consumo, em função das compras de fim de ano, contribua para esse ajuste da produção estocada.

Nesta quinta-feira, a CNI recuou da previsão de que a indústria cresceria 1,6% em 2012. Acredita que o setor ficará estagnado. No caso específico da indústria da transformação, a entidade calcula que haverá queda de 1,9% na produção. Os dados estão no Informe Conjuntural do terceiro trimestre.

“Há sinais de recuperação. A Sondagem Industrial de agosto nos mostra um crescimento da produção, mas não será suficiente para compensar as perdas registradas até agora. Estamos com estoques elevados e o crescimento fica na dependência do ajuste desses estoques”, afirmou Fonseca.

Ele destacou que as medidas de redução de custos para a indústria, anunciadas pelo governo, tais como queda no custo da energia elétrica e desoneração da folha de pagamento, são essenciais para a retomada do crescimento.

“As medidas de estímulo ao consumo conseguiram reverter a crise em 2008 e 2009, mas não promovem um crescimento sustentado. Por isso a importância da redução do custo e do aumento de competitividade da indústria. É importante que o governo continue atuando nessa área”, comentou. Fonseca frisou que o efeito concreto dessas ações governamentais só será sentido a partir de 2013.

O Informe Conjuntural, estudo trimestral no qual a CNI revisa as principais projeções econômicas, reduziu a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma das riquezas de um país, de 2,1% para 1,5%. Também recalculou o fechamento de outros indicadores em 2012, como o superávit da balança comercial (de US$ 20,2 bilhões para US$ 18,3 bilhões) e a inflação oficial (de 5% para 5,5%). (da Agência Brasil, Mariana Branco)



Últimas

2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020

Ver mais »