Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Migração de retorno do Nordeste para o Sudeste perde força, indica IBGE 17/10/2012

Rio de Janeiro - O Censo 2010 revelou que começa a perder força a migração de retorno do Sudeste para o Nordeste. Pesquisa divulgada hoje (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), baseada no Censo 2010, mostra que 9,5 milhões de nordestinos migrantes são maioria (53%) entre os 17,8 milhões de pessoas que residem em região diferente da que nasceram, sendo 66% no Sudeste.

De acordo com a pesquisa Nupcialidade, Fecundidade e Migração, o Sudeste também é o principal destino de 66% dos 600 mil estrangeiros que moravam no Brasil no ano do levantamento, seguido da Região Sul. Entre os migrantes nordestinos, as regiões Norte e Centro-Oeste também foram escolhidas, com a busca por melhores oportunidades econômicas.

Somente nos cinco anos anteriores ao censo, 828 mil de pessoas partiram do Nordeste com direção ao Sudeste, enquanto que 386 mil fizeram o caminho inverso. Um terço tinha entre 60 e 69 anos.

O Distrito Federal, Rondônia, Roraima e Mato Grosso são as unidades da Federação com os menores percentuais de residentes naturais. De acordo com o técnico do IBGE Marden Campos, com exceção do Distrito Federal, cujas principais atividades econômicas são os serviços e o funcionalismo público, nas demais a agroindústria é a responsável por atrair mão de obra.

A pesquisa também informa que de todos os migrantes oriundos de estados do Nordeste, a maioria, com exceção dos naturais do Maranhão, tinham São Paulo, no Sudeste, como destino. Ao lado do Rio de Janeiro, o estado tem um dos contingentes mais altos de não naturais. Minas Gerais e a Bahia tinham a maior população vivendo fora de seus limites - 7 milhões.

“Entre as décadas de 1950 e 1970 havia uma migração massiva do Nordeste para o Sudeste. No fim do século, na década de 1990, o IBGE observou forte migração de retorno [volta para casa], do Sudeste para o Nordeste. Hoje, essa migração de retorno vem perdendo força. Ainda há, mas não é tão grande como já foi”, destaca Marden Campos. (da Agência Brasil, Isabela Vieira)



Últimas

2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020

Ver mais »