Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Abrace pede redução do preço do gás natural 19/12/2012

Brasília - Para que o governo alcance o objetivo de tornar o Brasil um pais mais competitivo é fundamental que a redução das tarifas de energia seja mais abrangente. O preço menor não deve beneficiar apenas os consumidores de geração elétrica, mas, de forma complementar, estendidos àqueles que usam gás natural. A reivindicação é da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace).

Segundo a associação, o Brasil está no topo do ranking mundial, com os maiores preços praticados no mercado de gás natural. “Aqui, o gás custa cerca de quatro vezes mais do que no exterior. Isso impacta a produção industrial e acaba repassado ao consumidor, no preço do produto”, disse hoje (19) o presidente da Abrace, Paulo Pedrosa, durante almoço com jornalistas.

A associação lançará em 2013 o projeto + Gás Brasil destinado a preparar estudos sobre produção e custos do gás no Brasil, de forma a incentivar políticas de estímulo ao crescimento econômico e ao aumento da produção industrial.

A Abrace informa que, no Brasil, o gás natural é vendido a US$ 14 por milhão de unidades térmicas britânicas (MBTU), apesar do desconto oferecido pela Petrobras às indústrias. Sem a redução, o preço estaria 47% maior.

De acordo com um estudo da associação, mesmo com o desconto, nos últimos seis anos o preço do gás dobrou no Brasil, enquanto, no mesmo período, os preços de referência norte-americanos caíram quase 60%. “É o baixo preço do gás que está recuperando a economia dos Estados Unidos. Lá, os preços oferecidos são quatro vezes menores do que o nosso”, disse Pedrosa.

O preço alto prejudica diretamente a competitividade dos produtos brasileiros. “O Brasil tem reservas, mas esse gás acaba não sendo usado devido ao preço mais alto do que o importado”, acrescentou.

Segundo estudo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a pedido da Abrace, se o Brasil reduzir o custo do MBTU pela metade, para US$ 7, haveria aumento do Produto Interno Bruto (PIB) anual de 0,5 ponto percentual. Em valores nominais, até 2025 a redução de preço poderia gerar R$ 700 bilhões.

O Brasil é o 17º país no ranking mundial de consumo de gás. De acordo com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), os setores de insumos básicos são altamente dependentes do gás natural. Fazem parte desse grupo, indústrias siderúrgicas e de minério de ferro, papel e celulose, alumínio, química, cerâmica e vidro. (da Agência Brasil, Mariana Tokarnia e Pedro Peduzzi)



Últimas

2020/10/23 » Ministério da Infraestrutura entregará planos de logística até 2050
2020/10/23 » OMS: risco de pegar covid-19 em aviões é "muito baixo", mas não zero
2020/10/23 » Cresce pauta sobre home office nas negociações trabalhistas
2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro

Ver mais »