Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Veículos representam maior parte do valor de apreensões da Receita no ano passado 28/01/2013

Brasília - A maior parte das apreensões nas operações de fiscalização aduaneira da Receita Federal em 2012 foi de veículos terrestres, que chegou a R$ 147 milhões. O número representa 7,29% do total de apreensões do ano passado e foi 40% maior do que em 2011. Logo atrás, vem a apreensão de cigarros e similares, com R$ 134 milhões (6,64%), e eletroeletrônicos, com R$ 117 milhões (5,82%).

Em 2012, o total de apreensões de mercadorias e veículos irregulares chegou a R$ 2,025 bilhões - crescimento de 36,5% em comparação ao ano anterior.

“Foram apreendidos no ano passado quase 12 mil veículos, principalmente motocicletas. É um número expressivo, mas crescemos em quase todos os itens, como cigarros, drogas e armas”, disse o subsecretário de Aduana e Relações Internacionais da Receita Federal do Brasil, Ernani Argolo Checcucci Filho.

Os números da Receita mostram que, no caso dos automóveis terrestres, foram 5.955 automóveis de passeio, 5.884 motos, 320 ônibus, 32 caminhões, 34 camionetas, furgões e pick-ups.

Foram apreendidos ainda 161 milhões de maços de cigarros, totalizando R$ 134 milhões e crescimento de 17,39% em comparação a 2011. Foram apreendidas 581 armas, 94% a mais do que no ano passado. A Receita informou ainda que apreendeu 6,64 toneladas de maconha, 793,1 quilos de cocaína, 315 quilos de crack e 241 mil comprimidos de ecstasy. Outro destaque, no balanço da Receita, é a apreensão de 40 toneladas de lixo do Canadá e 20 toneladas de lixo de hotéis e hospitais espanhóis no porto de Itajaí (SC).

“Batemos todos os recordes de apreensões em 2012. Isso significou um incremento de 36% nessa atividade da Receita. É resultado de todo um processo de trabalho e de fiscalização que vem sendo aperfeiçoada ao longo dos anos”, disse Checcucci Filho. Ele destacou que houve um investimento significativo na parte de inteligência e informação, além da cooperação com outros agentes do governo como as polícias Federal, estaduais e Rodoviária Federal.

O balanço da fiscalização aduaneira mostra ainda que as apreensões de vestuário ficaram em R$ 78,2 milhões (3,86%) e relógios em R$ 71,4 milhões (3,53%). No caso de óculos de sol foram R$ 50 milhões (2,48%), bolsas e acessórios, R$ 36,7 milhões (1,81%), informática, R$ 34,1 milhões (1,69%), brinquedos (R$ 21,1 milhões (1,04%). (da Agência Brasil, Daniel Lima)



Últimas

2020/09/25 » Projeto do Senai vai qualificar trabalhadores para a indústria 4.0
2020/09/25 » Primeiro leilão de imóveis públicos do Rio será em outubro
2020/09/25 » CMN amplia limite de renda para microcrédito a empresas
2020/09/24 » Custos industriais caem 1,5% no segundo trimestre
2020/09/24 » Ministro da Economia diz que reforma deve ter tributos alternativos
2020/09/24 » Contas externas têm saldo positivo de US$ 3,7 bilhões
2020/09/23 » Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020
2020/09/23 » CNI: atividade industrial segue em recuperação com alta do emprego
2020/09/23 » Indicadores recentes sugerem recuperação parcial da economia, diz BC
2020/09/22 » Brasil terá cota adicional na exportação de açúcar aos EUA
2020/09/22 » Estudo brasileiro aponta que covid-19 pode causar danos cerebrais
2020/09/22 » Mercado financeiro reduz projeção de queda da economia para 5,05%
2020/09/21 » Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro
2020/09/21 » Covid-19: maioria dos estados segue sem aulas presenciais
2020/09/21 » O que é o Sistema S?
2020/09/18 » Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
2020/09/18 » Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
2020/09/18 » IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
2020/09/18 » CNI apresenta propostas para retomada da economia
2020/09/18 » Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses

Ver mais »