Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Investimento confirma que o crescimento da economia brasileira é consistente 29/05/2013

Rio de Janeiro - O crescimento de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB), no primeiro trimestre deste ano, confirma o “excelente desempenho da formação bruta de capital fixo”, que é a taxa de investimento na economia, avaliou hoje (29), no Rio de Janeiro, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho.

Ele reforçou que, de maneira geral, o crescimento da economia brasileira está em curso. “A economia está crescendo a um ritmo de 2,2%, o mesmo ritmo observado no último trimestre do ano passado, mas com uma diferença qualitativa positiva. É que os investimentos estão em ascensão, estão crescendo. Isso significa um crescimento mais saudável. Significa que a relação entre investimento e PIB está subindo”.

Coutinho destacou que a formação bruta de capital foi a principal alavanca do aumento do PIB, pelo lado da demanda, com crescimento de 4,6% no período, e de pouco mais de 24% anualizado, “confirmando os nossos dados de aceleração do investimento”. Ressaltou também a expansão forte da agricultura (9,7% nos três primeiros meses do ano), já esperada.

O presidente do BNDES observou que o resultado do setor de serviços e do comércio exterior ficou aquém do desejado. A área de serviços evoluiu 0,5% no trimestre. As exportações caíram 6,4%, contra incremento de 6,3% das importações. “Só isso retirou 1,7 ponto percentual da taxa de crescimento trimestral do PIB”. Os números refletem, segundo Coutinho, a situação desfavorável no comércio internacional, “ainda sob um forte acirramento de concorrência em manufaturas e uma moderada redução de preço de commodities [produtos agrícolas e minerais comercializados no mercado externo]”.

Ele reiterou a confiança de que a economia vai crescer ao longo do ano, mostrando bom resultado. A queda registrada na indústria extrativa se deve, em boa parte, à exportação de produtos, enquanto a indústria de transformação mostrou crescimento modesto, mas positivo no trimestre, de 0,3%, mostrando que, “devagarinho, as coisas vão melhorando”, disse.

Luciano Coutinho disse que, do ponto de vista do BNDES, não há indícios de arrefecimento do crescimento dos investimentos no segundo trimestre. “Ao contrário. Nossos desembolsos em abril e maio estão muito firmes”. Os desembolsos efetuados nesse bimestre indicam crescimento superior a 50%. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020

Ver mais »